Economia

Exportadores adoptam hoje novo corte de produção

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) adiaram a imposição de um novo corte da produção para hoje, quando é co-nhecida a posição da Rússia (que não pertence ao cartel), de acordo com informações da reunião ministerial que decorre desde ontem em Viena, Áustria.

Fotografia: DR

Ontem, antes da reunião, cinco delegados afirmaram à Reuters que estavam à espera de novidades do mi-nistro da energia russo, Alexander Novak, que chega hoje à capital austríaca. Só com a participação russa é que a estratégia de concertação dos países produtores terá algum impacto.
“Estou optimista. Vai haver um entendimento, mas ainda falta perceber qual será a contribuição da OPEP e parceiros”, afirmou outro delegado, citado pela Reuters.
A estimativa inicial apontava para um corte de um a 1,3 milhões de barris por dia (sendo este último valor equivalente a cerca de 1,3 por cento da produção total), a vigorar entre Janeiro e Junho do ano que vem.
Nos últimos dois meses, o preço do barril de Brent desceu 27 por cento, posicionando-se na casa dos 60 dólares devido a uma conjugação de factores ligada à procura e à oferta.
Ontem, a tendência era de descida nos mercados (-4,00 por cento, baixando para os 59 dólares), depois de o ministro da Energia saudita ter dito, à entrada do encontro, que o corte tinha de ser “suficiente” mas “não demasiado profundo”, e que um milhão de barris seria “adequado”. Os investidores entenderam a afirmação como um sinal de que a organização e parceiros decidem um corte ligeiro.

Tempo

Multimédia