Economia

Fábrica de batata frita encerrada pelo Estado

O Ministério da Indústria ordenou sexta-feira o encerramento da Golden Royal Eagle Angola (GREA), a fábrica das batatas fritas Fadys’s, depois de uma acção conjunta entre o Serviço de Investigação Criminal (SIC) e o Laboratório Central do Ministério da Agricultura.

Fotografia: afp

Um comunicado enviado ao Jornal de Angola acusa a fábrica de produzir as batata frita com produtos expirados e datas adulteradas.
Para acautO Ministério da Indústria ordenou sexta-feira o encerramento da Golden Royal Eagle Angola (GREA), a fábrica das batatas fritas Fadys’s, depois de uma acção conjunta entre o Serviço de Investigação Criminal (SIC) e o Laboratório Central do Ministério da Agricultura. Um comunicado enviado ao Jornal de Angola acusa a fábrica de produzir as batata frita com produtos expirados e datas adulteradas.
Para acautelar riscos à saúde pública e preservar a qualidade da produção nacional em Angola, o Ministério da Indústria alertou à população, no comunicado, a abster-se do consumo dos produtos de marca Fadys’s, consumidos maioritariamente por crianças.  O documento afirma que o processo administrativo de inspecção segue os seus trâmites, sendo aquela uma acção preventiva, pelo que, até novo comunicado, a população é aconselhada a evitar o consumo daquele produto. Na sequência da operação, o SIC deteve um cidadão de nacionalidade síria identificado como responsável pela produção.
Na sua página na Internet, a (GREA) apresenta-se como uma sociedade sedeada na capital libanesa, Beirut, e dedicada à importação, exportação e distribuição de uma ampla gama de produtos, principalmente alimentos, incluindo algumas marcas exclusivas em Angola, Moçambique e Congo Democrático), assim como no Médio Oriente e regiões do Golfo Pérsico.
A companhia também reclama para si o fornecimento de uma oferta aos melhores e mais competitivos preços.elar riscos à saúde pública e preservar a qualidade da produção nacional em Angola, o Ministério da Indústria alertou à população, no comunicado, a abster-se do consumo dos produtos de marca Fadys’s, consumidos maioritariamente por crianças.  O documento afirma que o processo administrativo de inspecção segue os seus trâmites, sendo aquela uma acção preventiva, pelo que, até novo comunicado, a população é aconselhada a evitar o consumo daquele produto. Na sequência da operação, o SIC deteve um cidadão de nacionalidade síria identificado como responsável pela produção.
Na sua página na Internet, a (GREA) apresenta-se como uma sociedade sedeada na capital libanesa, Beirut, e dedicada à importação, exportação e distribuição de uma ampla gama de produtos, principalmente alimentos, incluindo algumas marcas exclusivas em Angola, Moçambique e Congo Democrático), assim como no Médio Oriente e regiões do Golfo Pérsico.
A companhia também reclama para si o fornecimento de uma oferta aos melhores e mais competitivos preços.

Tempo

Multimédia