Economia

Fábrica de massa tomate pede novos investimentos

Pelo menos três milhões de dólares são necessários para concluir o processo de reabilitação da única fábrica de concentrado de tomate da Huíla, localizada no município da Matala. 

Produção de tomate é uma das principais culturas da região
Fotografia: DR

Sob gestão da Sociedade de Desenvolvimento do Município da Matala (SODMAT), empresa gestora do perímetro irrigado local e de toda infra-estrutura de apoio à produção na circunscrição, o primeiro investimento na fábrica foi feito em 2008 pelo Governo, resultado de um financiamento de 10 milhões de dólares do Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA).

O processo de reabilitação, de acordo com o administrador financeiro da SODMAT, António Costa, foi interrompido pelo empreiteiro, que  abandonou o projecto a meio, sem dar nenhuma explicação.

 “Na fábrica ainda tem equipamentos que podem ser recuperados, mas  há outros que precisam de ser substituídos e, segundo alguns consultores, serão necessários mais de três milhões de dólares para recuperar a unidade fabril”, sublinhou o responsável.

Referiu que as autoridades locais e o Ministério da Agricultura continuam a trabalhar para encontrar um investidor que possa apostar na mesma, dada a sua importância no desenvolvimento socioeconómico da região e do país. 

Construída nos anos 60, a fábrica de tomate, com capacidade de processamento de seis toneladas de tomate por hora, está inoperante desde 1980. 

Várias iniciativas foram  feitas para a sua recuperação, mas nunca surtiram efeitos. 

O perímetro irrigado da Matala tem um canal com 43 quilómetros de extensão e 11 mil hectares irrigados, construído nos anos 50 e reabilitado e reinaugurado em Agosto de 2002.  


Tempo

Multimédia