Economia

Fábrica inaugurada apresenta Luandina

Kátia Ramos

A cerveja Luandina foi lançada na sexta-feira, em Luanda, pela Sociedade de Distribuição de Bebidas de Angola (Sodiba), a segunda marca produzida pela companhia, que já produz a Sagres e a sétima do país, depois da Cuca, Nocal, Eka, Ngola e Bela.

Linha de enchimento é das mais modernas de África
Fotografia: Eduardo Pedro|Edições Novembro


A Luandina é oferecida em garrafa e lata de 33 centilitros e é uma puro malte com um teor alcoólico de cinco por cento, do tipo “lager” - fermentada e armazenada a baixas temperaturas -, e feita, com lúpulo e água, uma cerveja que a Sodiba afirma ser produzida com os mais altos padrões internacionais.
A fábrica, instalada nas margens do rio Kwanza, no Bom Jesus, Icolo e Bengo, pretende ser “uma das mais modernas de África”. Possui uma área  de 40 hectares e uma capacidade de produção de 144 milhões de litros.
A construção da fabrica teve início em 2015 e durou 24 meses, empregando capitais cem por cento privados, mercê do apoio da banca comercial nacional e internacional, disse o empresário Sindika Dokolo que, com a esposa Isabel dos Santos, detém a Sodiba. />Durante o período de construção, foram criados 500 postos de trabalho e, com o início da produção, foram providos 220 empregos directos e um número significativo de indirectos, prosseguiu o empresário ao discursar no acto de inauguração e lançamento.
Isabel dos Santos revelou à imprensa planos para a exportação da Luandina e a pretensão da Sodiba encontrar uma empresa que forneça a matéria-prima para a produção da cerveja, num projecto voltado para ajudar as comunidades e contribuir para a formação adicional de emprego e rendimentos.
Os ministros da Economia e Planeamento e da Indústria, Pedro Luís da Fonseca e Bernarda Martins, assim como o governador provincial  de Luanda, Adriano Mendes de Carvalho, participaram no no lançamento da cerveja.

Tempo

Multimédia