Economia

Farmacêuticas cubanas projectadas para a ZEE

Nhuca Júnior

A embaixadora de Cuba em Angola, Esther Glória Cardena, manifestou, quinta-feira, o desejo de ver instalada uma representação da indústria farmacêutica do seu país na Zona Económica Especial (ZEE) Luanda-Bengo, situada em Viana.

Embaixadora cubana (ao centro) propõe cooperação aos gestores da Zona Económica Especial

A diplomata cubana, que efectuou uma visita guiada à Zona Económica Especial, onde se inteirou do seu funcionamento, reforçou o interesse da Zona Económica de Mariel, em Havana, em cooperar com a Zona Económica Especial Luanda-Bengo.
A embaixadora saiu com “óptima impressão” da Zona Económica Especial Luanda-Bengo, onde deu também ênfase à necessidade de estreitamento entre as agências de investimento dos dois países, a AIPEX, de Angola, e a ANTEX, de Cuba.
No diálogo mantido com o presidente interino do conselho de administração da Sociedade de Desenvolvimento da Zona Económica Especial, Álvaro Santos, foi anunciada uma visita a Cuba, na segunda quinzena deste mês de Dezembro, de uma delegação de membros do conselho de administração da empresa gestora da ZEE Luanda-Bengo.
A visita vai ser dedicada ao estreitamento das relações e ao estabelecimento de sinergias entre a ZEE Luanda-Bengo e a Zona Económica de Mariel. 
Na visita à Zona Económica Especial Luanda-Bengo, que serviu para o reforço das relações entre Angola e Cuba no capítulo económico, a embaixadora Esther Glória Cardena esteve em algumas unidades fabris, entre as quais a fábrica Mestre Akino, vocacionada para o processamento de carnes e produção de enchidos. 
No local, a diplomata mostrou interesse na replicação do projecto em Cuba, sugerindo ao proprietário da fábrica a investir no seu país, que tem potencial na produção de suínos. 
A fábrica "Priority", de produção de gelados e iogurte das marcas “Copélia” e “Dona Glória”, foi também visitada pela embaixadora de Cuba em Angola. 
Na “Priority”, que possui grande parte de investimento cubano e emprega mais de 60 trabalhadores nacionais, a diplomata inteirou-se das condições de instalação e da capacidade de produção.
Ainda na ZEE, a diplomata cubana esteve numa das subestações eléctricas, uma infra-estrutura importante para o desenvolvimento da actividade industrial. Quando se inteirava do funcionamento das subestações eléctricas, Esther Glória Cardena acentuou que Cuba está interessada em cooperar com a Zona Económica Especial na implementação de energias limpas.
A embaixadora visitou ainda a fábrica Inducarpin, vocacionada para a produção de mobiliários e materiais de construção civil, e a Gulkis, que, quando entrar em funcionamento nas próximas semanas, vai produzir leite condensado em pacote e iogurte. 
Na visita à Zona Económica Especial Luanda-Bengo a embaixadora esteve acompanhada pelo presidente e vice-presidente da Agência Cubana de Promoção de Investimentos e Exportações (ANTEX), Carlos Martinez e Mário Costa, respectivamente, e pelo director de Negócios da ANTEX, José Gutierres.

Tempo

Multimédia