Economia

Feirantes pedem uma nova gestão

Vendedores da praça de São Pedro, na cidade de Cabinda, solicitaram do Governo Provincial a rescisão do contrato com a Ajomazi, a empresa gestora do mercado, à qual acusam de maus tratos e cobranças excessivas.

Empresa cobra taxas excessivas aos vendedores
Fotografia: Santos Pedro | Edições Novembro

A reivindicação dos vendedores foi apresentada na sexta-feira, no mercado, durante um encontro com o governador da província de Cabinda, Eugénio Laborinho, no  qual reclamaram dos maus tratos infligidos pelos fiscais e as elevadas taxas cobradas de forma arbitrária pela Ajomazi.
Em declarações no final do encontro, a vendedora Madalena da Conceição disse que à Angop, em nome das demais, que os fiscais não têm respeito, maltratam os utilizadores da praça e cobram muito caro as taxas.
Por isso, acrescentou, os vendedores querem que o Governo Provincial de Cabinda retire toda a direcção do mercado e a substitua por outra, mais idónea e que corresponda aos anseios de todos os envolvidos nas transacções.
Os vendedores pagavam taxas de entre  2,5 mil e 11,8 mil kwanzas, dependendo do espaço e do negócio, mas, desde Janeiro, essas taxas subiram para sete e 21,8 mil kwanzas.

Tempo

Multimédia