Economia

Fernando Teles deixa a presidência do BIC

Fernando Teles deixa a presidência do Conselho de Administração e da Comissão Executiva do Banco Internacional de Crédito (BIC), postos em que é substituído por Fernando Duarte e o seu próprio filho, Hugo Teles, de acordo com informações obtidas ontem pelo Jornal de Angola.

Fernando Teles sem liderança
Fotografia: Edições Novembro

O banqueiro deixa as posições que ocupava no BIC (postos que ocupava desde a fundação do banco em 2005) 14 anos depois, no quadro de um processo agora submetido ao Banco Nacional de Angola (BNA) para obtenção da comprovação da idoneidade dos que entram para cargos de liderança.
Fontes deste jornal disseram que Fernando Teles mantém-se como administrador executivo do banco e que o seu afastamento da lideran-ça ocorria desde Novembro, quando Hugo Teles passou a ocupar o posto de presidente da Comissão Executiva.
Mais recente, a ascensão de Fernando Duarte de administrador a presidente do Conselho de Administração pôs fim à liderança de quase década e meia de um dos mais emblemáticos fundadores do BIC (ao lado de Isabel dos Santos), o que informadores deste jornal declararam ter ocorrido de forma pacífica, com o fim único de vitalizar a actividade do banco.
A decisão de Fernando Teles, de 77 anos de idade, era a de se afastar inteiramente da actividade bancária, mas a sua permanência como administrador executivo foi decidida por considerações relacionadas com o “mo-mento delicado” da economia do país.
Fernando Teles partilha o Conselho de Administração e a Comissão Executiva do BIC com 16 outros gestores, entre os quais despontam a empresária Isabel dos Santos e o ex-governador do Banco Nacional de Angola Amadeu Maurício, que se mantêm como administradores não executivos no quadros das deliberações aprovadas.
Antes de fundar o BIC, Fernando Teles permaneceu 11 anos como director do escritório de representação do Banco de Fomento Exterior, que deu lugar ao Banco de Fomento Angola, uma operação do português BPI depois dispersa por accionistas nacionais no quadro de um processo de redução ao mercado nacional decidido pelos reguladores europeus do BCE.
Em 2017, depois da compra das participações dos accionista Américo Amorim e António Ruas, Teles e Isabel dos Santos partilhavam em 37,5 e 42,5 por cento, sendo a posição do primeiro somada a 5,0 por cento detidos por outros administradores.
A saída de Fernando Teles da liderança do BIC é anunciada ainda esta semana, quando o banco divulgar o seu relatório e contas de 2018, de acordo com os informadores deste jornal.

Tempo

Multimédia