Economia

FMI garante solidez

O Fundo Monetário Internacional (FMI) reafirmou ontem, em Washington, Estados Unidos, que a instituição vai continuar a ser “sólida”, com recursos adequados e baseados em quotas, a fim de preservar o seu papel central na rede global de segurança financeira.

 

“Comprometemo-nos a concluir a Décima Quinta Revisão Geral de Quotas e a acordar uma nova fórmula para o cálculo de quotas, que sirva de base para um realinhamento das quotas que tenham como resultado aumentos das quotas de economias dinâmicas, de acordo com a sua posição na economia global e, provavelmente, aumentos da participação que corresponde aos países de mercados emergentes e dos países em desenvolvimento como um todo, protegendo a voz e representação dos países membros mais pobres”, reforçou o FMI.
No final das “Reuniões da Primavera” conjuntas do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial, os participantes solicitaram o esforço adicional da direcção executiva da instituição, visando concluir um acordo na Décima Quinta Revisão, com base nos objectivos alcançados no encontro que terminou, à data das “Reuniões da Primavera” de 2019 e, o mais tardar, nas Reuniões Anuais de 2019.
“Tomamos nota do ‘Relatório sobre Progresso’ preparado para a Assembleia de Governadores e confiamos que mais progressos serão feitos até à data da nossa próxima reunião”, sublinharam os participantes, ao mesmo tempo que se congratularam com os progressos realizados para garantir compromissos no âmbito dos “Acordos Bilaterais de Empréstimos de 2016” e instaram a implementação total das reformas de 2010, relacionadas com a estrutura de governação.
Toda primavera, milhares de dirigentes governamentais, executivos do sector privado, jornalistas, membros de círculos académicos, representantes da sociedade civil e outros observadores interessados reúnem-se por ocasião das Reuniões da Primavera do FMI e do Grupo Banco Mundial ( GBM), para discutir questões de interesse global, incluindo a “Perspectiva Económica Global”, a erradicação da pobreza, o desenvolvimento económico e a eficácia da ajuda.

Tempo

Multimédia