Economia

FMI reforça a intromissão nas finanças dos membros

A directora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI) garantiu ontem que o Fundo "vai intrometer-se mais nas finanças dos países membros", com as novas regras sobre a intervenção nos países com um programa de ajuda.

“Os departamentos orçamentais e jurídico já têm autorização para irem mais fundo na análise das finanças públicas dos países e exigirem cópias dos contratos, por exemplo”, disse Lagarde.
Na explicação das novas regras, a primeira revisão desde 1997, Lagard deu um exemplo:  “quando temos um programa com um país, desenhamos e emprestamos dinheiro da comunidade internacional com base nos documentos divulgados, com base em dados que aparecem nos números que nos dão”. Depois, acrescentou, “quando descobrimos dívidas fora do Orçamento, ou quando percebemos que há negócios laterais na indústria extractiva, telecomunicações ou construção, geralmente sectores mais permeáveis à corrupção, isso dá-nos uma boa causa para parar de emprestar e precisamos de clareza total e cópia dos contratos”.

Tempo

Multimédia