Economia

Frio ameaça produção agrícola no Andulo

José Chaves | Andulo*

Várias culturas agrícolas estão a morrer devido às baixas temperaturas que se registam nos últimos dias no município do Andulo, no Bié. A reportagem do Jornal de Angola ouviu alguns camponeses que se queixam de avultados prejuízos nas culturas, devido o frio. Além dos prejuízos nas agricultura, o peixe de água doce também está a morrer nos rios e nas lagoas.

Fotografia: DR

O agricultor Joaquim Cesar Ribeiro disse que grande parte das culturas que plantou, esta campanha agrícola, essencialmente hortícolas, acabou por registar morte dos tecidos vegetais. “É lamentável o prejuízo que estamos a ter nas plantações devido as baixas temperaturas. Este ano as geadas constantes estão a comprometer o ano agrícola”, afirmou desolado.

Lucas Agostinho, outro agricultor do Andulo, também se queixa dos prejuízos das culturas provocadas pelas baixas temperaturas. “As culturas mais afectadas são na minha plantação é principalmente o tomate e a couve”, disse. O engenheiro agrônomo, Carlos Waldemar Lumbombo, em declarações via Watshap explicou que no município do Andulo outras localidades do planalto central, situados a médias e altas latitudes, a agricultura torna-se atividade de risco durante a época de cacimbo, devido à ocorrência de temperaturas baixas. “Neste período do ano, nestas regiões do centro sul do país acontece muita geada”, afirmou.

Carlos Lumbombo argumentou que as geada são fenômenos atmosféricos, responsável pelas muitas perdas a agricultura e pecuária. “Agronomicamente ,esses fenômenos constituem-se da ocorrência de baixas temperaturas, geralmente noturnas, que causam o congelamento da seiva e dos tecidos das plantas, levando-as à morte integral ou de partes, como folhas, ramos e fruto”, disse. Assim podemos observar que a ocasião deste fenômeno atinge todo do sector da agricultura e, assim cuidados para as plantações começam a ser tomados para que fosse menos prejudicial”, sublinhou. Entretanto, é importante ressaltar, disse, que tanto o frio como o calor precisam vir em “doses certas” para assegurar que as plantas tenham o máximo desempenho. A província do Bié, no centro do país, regista nos últimos dias temperaturas baixas que chegam a atingir de madrugadas, nas últimas três semanas, aos dois, cinco e oito graus Celsius.

Morte de peixes

As baixas temperatura que se registam na província do Bié também esta a causar morte de peixes no rio Cuiva, afluente do rio Kwanza na comuna com o mesmo nome. O frio intenso, temperaturas abaixo dos quatro graus, esta a matar bagres e cacussos naquela localidade do município de Camacupa, segundo regedor Paulo Cussifandua.

* João Constantino

Tempo

Multimédia