Economia

Governo leva a debate potencialidades locais

Casimiro José | Sumbe

As potencialidades económicas do Cuanza-Sul, nos domínios da Agro-pecuária, Indústria, Turísmo e Pescas, foram objecto de um debate alargado, no sábado, que juntou no Instituto Nacional de Petróleos (INP), quadros naturais e residentes naquela província.

Quadros naturais e residentes na província do Cuanza-Sul
Fotografia: Casimiro José | Edições Novembro

Promovido pelo Governo Provincial, no âmbito das celebrações do 102º aniversário do desmembramento do território Cuanza, que se assinala a 15 de Setembro de 1917, o encontro juntou académicos, governantes políticos e empresários dos mais variados sectores. O director do Gabinete Provincial da Agricultura, Pecuária e Pescas, João Ferreira Neto, lembrou que o Cuanza Sul dispõe de 190. 900 hectares de terras aráveis, recursos hídricos abundantes e um clima favorável à agricultura. No domínio da pecuária, prosseguiu, a província conta com 147. 830 bovinas, sem contar as espécies de pequeno porte, como caprinos e suínos. Para o desenvolvimento da chamada “economia azul”, com destaque para a actividade piscatória, salientou, a província tem 178 quilómetros lineares de costa marítima com 24 comunidades piscatórias. No sector do Turismo, de acordo com o responsável pelo sector na província, Agostinho Cassessa, a região beneficiou de investimentos assinaláveis, tendo passado de 56 estabelecimentos hoteleiros, em 2002, para 331. Para tirar proveito das potencialidades da província, os participantes recomendaram a criação de parcerias entre os empresários.

Tempo

Multimédia