Economia

Grupo Boa Vida esclarece sobre crédito no BANC

O Grupo Boa Vida diz ter contratado, em 2014, um empréstimo de crédito a rondar hoje os dois mil milhões de kwanzas junto do já liquidado Banco Angolano de Negócios e Comércio (BANC).

Fotografia: DR

O empréstimo acelerou e deu suporte às despesas adicionais para a operacionalização da construção de habitações em função de um elevado número de solicitações por parte dos clientes daquele banco ao projecto.

Por conseguinte, num Press Release, o Grupo Boa Vida rejeita as acusações a si e aos seus promotores, postas a circular pelas redes sociais e alguma imprensa, onde são apontados como um dos causadores do processo que levou a falência do Banco Angolano de Negócios e Comércio (BANC), em Fevereiro do ano passado.

No documento, argumentam que no começo da implementação dos projectos de construção de habitações, os irmãos Tomasz e Wojciech Dowbor procederam a um investimento de mais de 100 milhões de dólares americanos de capitais próprios.

O grupo UBV aproveita a ocasião para reforçar que sempre esteve alinhado com as estratégias do Executivo na diversificação da economia e geração de postos de trabalho ao longo desses anos.

Tempo

Multimédia