Economia

Guiné-Bissau acaba com cobranças de taxas de circulação interna a agricultores

O Ministério da Agricultura e Florestas e o Ministério da Economia da Guiné-Bissau assinaram na sexta-feira um despacho para a isenção de taxas de circulação interna cobradas, de forma ilegal, a agricultores guineenses.

Fotografia: Edmundo Eucílio | Edições Novembro

“É um ato de justiça social. A maior parte da população guineense é rural e não é justo que a sua circulação seja restrita e que sejam sujeitos a cobranças”, quando se deslocam a Bissau para vender o seu produto, afirmou a ministra da Agricultura, Nelvina Barreto, citada pela Lusa.
Segundo a ministra, são feitas aos agricultores cobranças ilegais e os dois ministérios viram-se na obrigação de fazer um despacho, mas, salientou, não há qualquer base legal para serem feitas cobranças.
O despacho será agora divulgado e vai envolver também o Ministério do Interior, do Comércio e da Administração Territorial.
Os agricultores guineenses são, a maior partes das vezes, sujeitos ao pagamento de taxas, inexistentes na lei, para transportar o seu produto para Bissau e vendê-lo, o que se junta a outros transtornos.

Tempo

Multimédia