Economia

Inadec impede venda de farinha de trigo estragada

A apreensão de 343 sacos de farinha de trigo de marca “Alimo”, por conterem gorgulhos (pragas comum em bens alimentares), dominou as operações do Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (Inadec), em Luanda, no período de 2 a 9 deste mês, declara uma nota de imprensa daqueles serviços distribuída à redacções.

Inadec apreende 343 sacos de farinha de trigo de marca “Alimo”
Fotografia: DR

Em 117 visitas realizadas pelo Instituto a estabelecimentos comerciais, foram também apreendidos 244 pacotes de leite de marca “Cada Dia”, por utilização da logomarca do Inadec sem autorização e em desobediência ao determinado por este organismo adstrito ao Ministério do Comércio.
Naquele período, o Inadec reteve ainda 102 quilos de carnes diversas, 731 embalagens de gelados da marca “Vanilha” de 500 mililitros cada, bem como 64 pacotes de puré de batata de marca “Maggi” comercializados pela empresa Cigy.
Na sequência dessas acções, o Inadec procedeu a três actos de inutilização de garrafas de licor num restaurante de Luanda, recebeu um total de 24 denúncias, realizou 47 acções de sensibilização e aconselhament, nove apreensões e emitiu 71 notificações.
A falta do Livro de Reclamações, má arrumação dos produtos nos estabelecimentos comerciais, mercadoria com a rotulagem em língua estrangeira, não fixação do selo do Livro de Reclamação e a sua má conservação, bem como a falta de boletins de sanidade e higiene dos bens constam das 55 infracções registadas pelo Inadec.
Criado a 25 de Julho de 1997, como uma instituição pública de defesa e protecção dos interesses dos consumidores, o INADEC tem como atribuições promover políticas de salvaguarda dos direitos dos consumidores, bem como coordenar e executar medidas tendentes à protecção, informação, educação e apoio às organizações de consumidores.
As acções do Instituto Nacional de Defesa do Consumidor têm como base a Constituição da República e a Lei de Defesa do Consumidor (Lei 15/03).

 

Tempo

Multimédia