Economia

Indústria extractiva com bom desempenho

Pedro Peterson

As actividades industriais (medidas pelo índice do produtor) registaram uma taxa de variação homóloga de 17 por cento, durante o 4º trimestre de 2019, influenciadas pela variação de preços dos produtos e serviços das indústrias extractivas com 18,7 por cento.

A maior variação de preços foi registada na extracção de petróleo e gás” com 22,2 %
Fotografia: Edições Novembro

Segundo o boletim do Instituto Nacional de Estatística (INE), as actividades que tiveram maior variação de preços neste período foram de extracção de petróleo e gás com 22,2 por cento. A indústria transformadora, de produção e distribuição de electricidade, gás e vapor registaram variações homólogas positivas de 18 e 16,9 por cento, respectivamente.

Enquanto o sector de captação, tratamento e distribuição de Água e Saneamento registou uma variação negativa de 13,5 por cento. Analisando por tipo de bens, os produtos de energia foram os que tiveram maior variação homóloga de preços com 33 por cento, seguidos dos bens de consumo com 13,1 e dos bens intermédios com 6,8 por cento.

Comparação

Em relação ao 3º trimestre, os preços da actividade industrial registaram uma variação de 3,5 por cento, influenciados pela variação de preços dos produtos e serviços da indústria extractiva com 3,3 por cento. A indústria transformadora registou maior variação de preços com 3,8 por cento. Os bens intermédios foram os que tiveram maior variação com 4,3 por cento, seguido dos bens de consumo com 2,1 e dos produtos de energia com 1,7 por cento.

As indústrias extractivas foeam as que mais contribuíram no aumento de preços, com três pontos percentuais (p.p), entre o 4º trimestre de 2019 e o trimestre anterior. Neste período, segundo INE, as indústrias transformadoras, contribuíram com 0,3 pontos percentuais.

Quanto ao tipo de bens, os produtos de energia foram os que mais contribuíram, com 1,7 pontos percentuais, seguido dos bens intermédios com 0,2 e produtos de energia com 0,1 pontos percentuais. Em relação a variação homóloga, as indústrias extractivas foram as que mais contribuíram na diminuição de preços com 16,8 pontos percentuais.

Neste período, os bens que registaram maiores contribuições foram os produtos de energia com 29,5 pontos percentuais, seguido dos bens de consumo com 0,6 e dos bens intermédios com 0,3 pontos percentuais.

Tempo

Multimédia