Economia

Indústria angolana começa a despontar

O ministro de Estado do Desenvolvimento Económico e Social, Manuel Nunes Júnior, considerou ontem, em Viana, Luanda, que Angola está no caminho certo, em relação ao sector da indústria, que começa a despontar em termos de geração de produtos de qualidade, estando alguns já a ser exportados para outros países, depois do petróleo.

Ministro de Estado para o Desenvolvimento Económico e Social, Manuel Nunes Júnior
Fotografia: DR

Manuel Nunes Júnior, que percorreu no princípio da tarde alguns stands da Expo- Indústria e  Projekta 2018,  admitiu, em declarações à imprensa, que muitas fábricas  já chegam a atingir 30 a 40 por cento  da quota do mercado nacional em produtos gerados internamente.
“ Se for  dado o apoio  que se impõe às indústrias, poderemos  chegar àquilo que sempre desejamos, sobretudo naqueles produtos que têm a ver com a cesta básica e com a grande procura”,  disse Manuel Júnior.
No quadro da constatação feita, disse que o Executivo está impressionado e  encorajado em prosseguir em tudo aquilo que for necessário para tornar a indústria cada vez mais competitiva, com menos custos e mais eficiente.
Indústrias do  ramo alimentar, de bebidas e de imobiliário e não só, expostas no recinto da Expo-Indústria e Projekta 2018, são entre outras, as constatadas pelo ministro de Estado e que apostam na produção de bens  e  serviços, utilizando  produtos  locais.
Temos de apoiar os nossos empresários e os produtores e fazer com que os produtos feitos em Angola sejam cada vez mais procurados não só  internamente como em todo o mundo”, garantiu o  governante.
Para Manuel Júnior,  a junção da  3ª  Edição da  Expo-Indústria  e da Projekta 2018 foi  uma simbiose positiva que demonstra  um potencial “muito forte” da indústria nacional que exige a criação de condições  necessárias do ponto de vista de crédito e  infra-estruturas, para que, nos próximos  3 a 10  anos,  Angola  tenha  um perfil  diferente,  relativamente  ao  sector.
Questionado sobre o  desempenho do sector da Indústria em relação à fatia do Orçamento Geral do Estado de 2019, lembrou  ser um orçamento que tem, fundamentalmente  dois objectivos - a protecção da classe  social (educação  e saúde) e  o relançamento do sector produtivo a agro-indústria.
Com o apoio  que está a ser dado  do ponto de vista das instituições, do Estado, e com o  dinamismo do empresariado  local, o governante acredita que Angola, nos próximos anos, dará passos “muito fortes”,  para que a indústria assuma o seu papel.
Os ministros da Indústria,  Bernarda  Martins,  do Planeamento e  Economia,  Pedro da  Fonseca e  do Comércio, Joffre  Van-Dúnem Júnior, acompanharam  a visita  do ministro de  Estado efectuada em alguns stands expostos na  Expo-Indústria e Projeckta  2018, que conta  com mais de  200 expositores.

Tempo

Multimédia