Economia

Inflação acumula tendência de descida

Os preços em Angola aumentaram 1,09 por cento entre Fevereiro e Março, um valor que coloca a inflação acumulada a 12 meses em 17,56 por cento, o valor mais baixo desde Janeiro de 2016.

Fotografia: DR

De acordo com o relatório mensal do Instituto Nacional de Estatística (INE) sobre o comportamento da inflação, divulgado na sexta-feira, 12, o Índice de Preços no Consumidor Nacional (IPCN) teve um aumento face aos 1,04 por cento registados no mês de Fevereiro.
Com este registo, a inflação acumulada nos últimos 12 meses diminuiu, passando de 17,96 por cento para 17,56 por cento, o valor mais baixo desde o período terminado em Janeiro de 2016.
No Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2019, o Executivo prevê uma taxa de inflação (a 12 meses) de 15 por cento.
Segundo o INE, o principal sector a influenciar o IPCN em Março foi o da "Saúde", com uma variação mensal de 1,47 por cento, seguindo-se os sectores de "Bens e Serviços Diversos", com 1,38 por cento, "Lazer, Recreação e Cultura", com 1,30por cento e "Alimentação e Bebidas não Alcoólicas", com 1,29 por cento.
O aumento de preços foi liderado pelas províncias de Bengo (1,92 por cento), Zaire (1,30 por cento), Moxico (1,23 por cento) e Cunene (1,31 por cento), enquanto as províncias com menor variação foram Benguela (0,82 por cento), Bié (0,84 por cento), Malanje (0,94 por cento), Lunda-Norte (1,00 por cento) e Cuanza-Norte (1,03 por cento). Em 2016, a inflação em Angola (12 meses) chegou a 41,12 por cento, em 2017 desceu para 23,67 por cento, e fechou 2018 nos 18,60 por cento.

Tempo

Multimédia