Economia

Inflação de Setembro foi a mais alta do ano

A inflação mensal de Setembro, medida pelo índice de preços no consumidor (IPC) de Luanda, acelerou para 2,54 por cento, a mais alta taxa do ano, depois das de 2,25 em Janeiro e 2,30 em Fevereiro, indicam números do Instituto Nacional de Estatística (INE) consultados ontem pelo Jornal de Angola.

Preços sobem num mês de muito dinheiro em circulação
Fotografia: JAImagens | Edições Novembro

O INE declarou numa nota de imprensa que, em termos homólogos, a taxa de inflação abrandou para 27,46 por cento, um decréscimo de 11,98 pontos percentuais em, relação à observada em igual período do ano anterior.
A classe “Vestuário e Calçado” foi a que registou o maior aumento de preços com 4,47 por cento, mas destacaram-se também os aumentos dos preços verificados nas classes “Saúde” com 3,89, “Bebidas Alcoólicas e Tabaco” com 3,81 e “Lazer, Recreação e Cultura” com 3,74.
A disparada da inflação segue-se a um mês de Agosto em que Angola tinha em circulação 451.023 milhões de kwanzas em notas e moedas, o valor mais alto em mais de meio ano, de acordo com dados do Banco Nacional de Angola (BNA).
Segundo o relatório sobre a base monetária ampla do Banco Nacional de Angola (BNA), entre Julho e Agosto, foram colocados em circulação no país mais 19.966 milhões de kwanzas.
O BNA chegou a retirar de circulação mais de 78.100 milhões de kwanzas entre Janeiro e Junho, numa estratégia de valorização da moeda nacional, mas, desde então, o banco central tem vindo a aumentar gradualmente o dinheiro em circulação, que em Agosto voltou a níveis de Fevereiro deste ano, quando se verificou a segunda taxa de inflação mensal mais alta do ano.
Em Agosto, o índice de preços no consumidor nacional (IPCN) mensal subiu em 1,59 por cento e 25,18 em termos homólogos, enquanto o IPC mensal de Luanda avançou 1,66 e 26,95 por cento em termos homólogos, de acordo com dados publicados pelo INE.

Tempo

Multimédia