Economia

Interligação de redes corta avultados custos

A interligação, entre a barragem de Laúca e as regiões do Waco - Cungo (Cuanza -Sul), Huambo e Cuito (Bié), permitiu reduzir em cerca de 4,4 milhões de dólares mensais os custos de produção de energia eléctrica nessas cidades, anunciou hoje, em comunicado, o Ministério da Energia e Águas (MINEA).

Interligações entre barragens e cidades reduz gastos
Fotografia: DR

“A redução resulta da eliminação do diesel na produção de energia, bem como dos encargos com a operação e a manutenção das centrais térmicas”, diz o comunicado.
Este projecto insere-se no Plano Nacional de Desenvolvimento 2018/2022, almeja potenciar o acesso das populações à energia eléctrica, a cobertura das necessidades de desenvolvimento do sector económico e produtivo, bem como o desenvolvimento da Rede Eléctrica Nacional.
“Não obstante o quadro de escassez de recursos financeiros, este e outros projectos estruturantes continuam a registar desenvolvimentos”, explica o MINEA. Os trabalhos de interligação dos sistemas permitem a gradual expansão dos serviços e a redução dos custos operacionais.
O MINEA prevê, que a tendência de redução dos custos de geração de energia térmica conheça maiores progressos ainda, no decorrer do presente ano, com a conclusão da interligação entre a barragem de Cambambe e a província de Benguela, prevista para Julho.
A construção do novo corredor da linha de transporte, em muito alta tensão, entre Laúca, Waco - Cungo e Huam-bo vai permitir, igualmente, a alimentação da província do Bié.
“Com esta medida, o MI-NEA prevê concluir a interligação do sistema Norte ao Centro, criando condições para a futura ligação ao sistema Sul, ou seja, para contemplar a província da Huíla, particularmente o Luban-go, principal centro de consumo”, explica o comunicado do MINEA.
No quadro deste projecto, o Waco - Cungo começou a receber energia eléctrica a partir de Laúca, desde finais de Fevereiro. Por seu lado, a cidade do Cuito dispõe de energia eléctrica de Laúca, desde 7 de Abril, a que se seguiram os municípios do Huambo e da Caála, desde 12 de Abril.

 

Tempo

Multimédia