Economia

Futuros engenheiros têm mais laboratórios

Madalena José |

Os laboratórios da Faculdade de Engenharia da Universidade Agostinho Neto (UAN), inaugurados ontem, em Luanda, vão assegurar a qualidade dos projectos industriais no país ao mesmo tempo que trazem benefícios à comunidade científica da área, afirmou o presidente da Aker Solutions Enterprises, no acto de inauguração.

Reitora da UAN durante a visita ao laboratório de frio
Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro

Pedro Godinho, ao dirigir-se à plateia de estudantes e docentes da Faculdade de Engenharia, disse que os três laboratórios, nomeadamente de frio, de ensaios mecânicos destrutivos e não destrutivos e electrotécnicos e de engenharia de minas e civil, foram equipados com os fundos e participação do bloco 32 operado pela Total.
No total, informou Pedro Godinho, foram financiados cinco milhões de dólares, quatro milhões deles investidos na compra dos equipamentos, para a garantia da formação dos estudantes, com vista a dotá-los de competência e qualidade do ensino no ramo de engenharia.
“Os laboratórios entregues hoje (ontem) aos estudantes e docentes devem ser bem conservados e cuidados para futuras gerações que hão-de passar nesta Faculdade de Engenharia”, alertou Pedro Godinho.
A reitora da Universidade Agostinho Neto, Maria do Rosário Teixeira Sambo, reiterou a utilização racional dos laboratórios, pelo corpo docente para melhorar o ensino prático,  garantindo  especialidades com qualidade. Para Maria do Rosário Sambo, a  Faculdade de Engenharia deve fazer prova junto dos patrocinadores por ser a escolhida entre as outras, numa altura em que se começa uma nova era de licenciaturas, seguida de habilidades práticas,  úteis para a inserção no mercado de trabalho.
Aos investidores dos equipamentos, a reitora deixou um apreço de gratidão por saberem seleccionar e fazerem uma aposta nacional, numa das áreas que vai impulsionar o desenvolvimento técnico e económico.  “Cabe ao estudantes e ao pessoal técnico comprovar que esta é a melhor saída, a formação com aulas práticas laboratoriais”, disse Maria do Rosário Sambo.
O presidente Executivo da Aker Solutions e a representante do bloco 32, operado pelaTotal,  Egil Boyum e Patrícia Claverie, respectivamente, comprometeram-se a continuar com a manutenção dos equipamentos. “Por um desenvolvimento da educação em Angola, temos um compromisso em continuar com a manutenção dos equipamentos”, reiteraram.
No acto de inauguração, patrocinado pela Aker Solutions Enterprises, a empresa garantiu que vai investir 25 milhões de dólares na construção de uma câmara hiperbárica, em Angola, para assegurar que os equipamentos utilizados na produção de petróleo em offshore angolano passem a ser reparados no país. A AKSEL assumiu o compromisso de investir cinco milhões de dólares no apetrechamento dos laboratórios da Faculdade de Engenharia da Universidade Agostinho Neto e do Instituto Nacional de Petróleos.
A AKSEL definiu igualmente, no âmbito da sua relação de colaboração com as autoridades angolanas e em cumprimento dos seus compromissos de responsabilidade social corporativa financiar, cinco milhões de dólares para apoiar instituições educacionais.
O projecto de reabilitação dos laboratórios da Faculdade de Engenharia da Universidade Agostinho Neto e do Instituto Nacional de Petróleos estão a ser cumpridos desde a sua  inauguração no passado dia 6 de Setembro de 2017, no Sumbe, gesto que se enquadra no projecto de responsabilidade social da empresa.
 Os equipamentos para os laboratórios foram fabricados pela GUNT Hamburg, na Alemanha. A iniciativa visa contribuir para o processo de angolanização, estratégia liderada pela Sonangol e o Ministério dos Petróleos. O programa de angolanização é destinado a aumentar a integração e capacitação de capital humano angolano nos projectos da indústria petrolífera angolana.
A AKER Solutions Entreprises é uma empresa de direito angolano que resulta da fusão de interesses entre a empresa Norueguesa, Aker Solutions BV 49 por cento e a empresa angolana Prodiamam Oil Services, com 51.
No mês passado, a Associação Regional de Laboratórios da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) prometeu apoiar os membros da comissão instaladora da futura Associação Angolana de Laboratório.
A garantia foi dada pelos responsáveis da instituição em Pretória, África do Sul, durante a reunião anual que visou melhorar as condições de funcionamento dos laboratórios da SADC nos diversos ramos de actividade, indica uma nota de imprensa da organização. O documento  assegura o apoio técnico e definição do plano estratégico que a Associação Regional pode prestar à entidade angolana, que reúne todos os laboratórios em Angola.

Tempo

Multimédia