Economia

Hidroeléctrica do Cunje volta a produzir este ano

As obras de reabilitação da barragem hidroeléctrica sobre o Cunje I, Bié, paralisadas há três anos por razões financeiras, serão retomadas no decurso deste ano, prometeu ontem o ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges.

Projecto do Cunje inclui a instalação de linha de alta tensão
Fotografia: João Salvo | Edições Novembro

Ao falar à imprensa durante uma visita de dois dias à província do Bié, o ministro anunciou que, depois da conclusão das obras, a barragem terá capacidade para produzir dez megawatts e fornecerá energia eléctrica às vilas e arredores dos municípios de Camacupa e Catabola.
O investimento vai permitir o surgimento de pequenas indústrias naquelas localidades e impulsionar a produção agrícola, além da construção de redes de média e baixa tensão e da iluminação pública de Camacupa.
O investimento está avaliado em 12 milhões de euros (2.649 milhões de kwanzas) e é financiado pelo Banco Mundial, segundo a Angop.
A barragem hidroeléctrica do Cunje I foi destruída durante o conflito armado que o país viveu e, até 1992, fornecia energia eléctrica aos municípios de Catabola, Camacupa e o Cuito , com um consumo avaliado em 1,2 megawatts de electricidade.
Além da barragem, o ministro informou estar em curso, até Setembro, um projecto de extensão de uma linha de alta tensão de 400 quilovolts que parte de Laúca (Malanje), para fornecer energia às províncias do Bie e Huambo.
O sector da energia é o que contempla a maior taxa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano, sendo expectável uma expansão de 60,6 por cento da sua capacidade devido a entrada em funcionamento de duas turbinas na Central Hidroeléctrica de Laúca.

Tempo

Multimédia