Início das obras do centro de apoio à pesca artesanal

Jesus Silva |
20 de Março, 2017

Fotografia: Jesus Silva| Edições Novembro

O Ministério das Pescas lançou, na sexta-feira, em Benguela, a construção e apetrechamento do Centro de Apoio à Pesca Artesanal e inaugurou um posto de observação e fiscalização da pesca e aquicultura na comuna do Egipto Praia.

Num acto testemunhado pelo secretário de Estado das Pescas para a Aquicultura, Carlos Martinó, o vice-governador de Benguela para a esfera Económica e Produtiva, Gika Morais, efectuou o corte da fita do Posto de Observação e Fiscalização de Pesca e Aquicultura.
O empreendimento, que comporta vários serviços e estruturas, entre os quais uma ponte cais, uma bomba de combustíveis contentorizada, túneis de congelação, câmaras de conservação de pescado, área de tratamento e processamento e tarimbas, vai proporcionar 50 postos de trabalho directos.
A infra-estrutura passa a ter igualmente um sistema de tratamento de águas residuais para proteger o ambiente, com capacidade de armazenamento de cinco toneladas por dia, um tanque de combustível para 25 mil litros de gasolina e 15 mil de gasóleo. “Caso o empreiteiro se empenhe, as obras orçadas  em um milhão e 830 mil dólares norte-americanas, estarão concluídas no período de 246 dias”, garantiu o engenheiro Miguel Cabral.
O vice-governador de Benguela, Gika Morais, procedeu à entrega de uma lancha rápida de 70 cavalos revestida de fibra, com seis metros de comprimento, capacidade para sete pessoas e alcance de 20 milhas náuticas para patrulhamento.
O administrador da comuna do Egipto Praia, José Faria, frisou que o lançamento da primeira pedra do Centro de Apoio aos Pescadores Artesanais, a inauguração do posto de fiscalização, bem como a implementação dos projectos da Globalpex e Fesmar, vão aumentar as capturas e criar centenas de postos de trabalho.
O director-geral do Serviço Nacional de Fiscalização Pesqueira e Aquicultura, Domingos Azevedo, destacou a importância de infra-estruturas apetrechadas de meios capazes de satisfazer as necessidades da população que pratica a pesca para obter uma vida melhor.
Com a inauguração do posto de observação e a lancha de patrulha, estão reforçadas as condições para a dinamização da acção fiscalizadora, garantindo desse modo o exercício de uma pesca responsável. “O Serviço Nacional de Fiscalização Pesqueira e da Aquicultura considera esta zona piscatória de vital importância, não só pelo seu potencial em termos de manancial pesqueiro, mas também pelo facto de ser muito frequentada por embarcações de médio e grande porte”, salientou.
O responsável enfatizou que o sector conta já com os serviços de dois observadores comunitários formados localmente, no quadro do melhoramento do controlo de toda a actividade de pesca exercida naquela localidade sob o lema “Proteger os Recursos Biológicos e Aquáticos para Garantir o Futuro”.

Promessas cumpridas


O secretário de Estado das Pescas para a Aquicultura, que procedeu ao lançamento da primeira pedra do Centro de Apoio à Pesca Artesanal, em representação da ministra das Pescas, Vitória de Barros, disse que as preocupações apresentadas pela população do Egipto Praia foram satisfeitas.
Carlos Martinó lembrou que, apesar da comuna possuir um grande potencial pesqueiro, os pescadores enfrentavam inúmeras dificuldades para rentabilizar os seus negócios. “Este centro será uma mais-valia, pois vai garantir o surgimento de postos de trabalho, ao mesmo tempo que vai formar mulheres para serem enquadradas no processamento do pescado, em excelentes condições higiénicas e sanitárias”, assegurou.

Mais participação

O secretário de Estado apelou às mulheres a participarem nas diferentes actividades ligadas à indústria pesqueira, contribuindo para o sustento das respectivas famílias.
Carlos Martinó disse que o posto de fiscalização apetrechado com equipamentos modernos vai permitir que os pescadores que navegam em embarcações semi-industriais e industriais não se aproximem a menos de quatro milhas náuticas da costa previstas pela lei. “Vai discipliná-los e fazer com que os recursos existentes sejam explorados de forma racional para as gerações vindouras”, referiu.
Um rádio com capacidade para entrar em contacto com os inspectores localizados na cidade de Benguela e as embarcações que navegam naquelas áreas já está instalado em Egipto Praia, para resolver problemas que ultrapassam a competência dos pescadores.  Testemunharam a cerimónia, os administradores municipais adjuntos do Lobito, Maria Kalesso Firmino e John Dalton, autoridades tradicionais e religiosas, empresários do ramo das pescas, entre outros convidados.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA