Economia

Missão aos Países Baixos

Dez destacados investidores agrícolas angolanos visitaram os Países Baixos no fim de Junho, onde estabeleceram a base para futuras parcerias e colaborações.

Estufa gigante foi uma das atracções da visita dos empresários à Holanda
Fotografia: Nilo Mateus | Edições Novembro

A missão, ao segundo maior exportador agrícola mundial encaixa no principal objectivo em diversificar a economia angolana.
Trata-se da primeira iniciativa da embaixada dos Países Baixos em Luanda em organizar uma missão agrícola angolana, após agrónomos holandeses terem visitado Angola nos últimos anos em várias missões de peritos. O grupo de investidores agrícolas angolanos incluiu a Fazenda Tchissola, Grupo António Mosquito, Nuviagro, Pomobel, Grupo Valoeste, Fazenda Kambondo, Banco Bai e Novagrolider.
Apesar do seu pequeno tamanho geográfico, os Países Baixos são o segundo maior exportador mundial de produtos agrícolas a seguir aos Estados Unidos, e essa missão acompanha o esforço das autoridades angolanas de diversificar a economia e diminuir a dependência do petróleo, colocando a agricultura como um motor futuro para o crescimento económico.
O grupo angolano encontrou-se com altos funcionários de vários ministérios holandeses a 19 de Junho, no início da sua visita de três dias. Michiel van Erkel, Director para os Agronegócios Internacionais no Ministério da Economia dos Países Baixos, explicou aos investidores angolanos que o “triângulo de ouro”, inovação e tecnologia estão na base do sucesso agrícola neerlandês. O termo significa cooperação entre governos, instituições científicas e mundo corporativo.

Lacticínios e batatas

O grupo visitou o Campus dos Lacticínios dos Países Baixos, produtores de batatas, empresas de transformação de lacticínios e de batatas, estufas e produtores de rosas. Director Alberto Macedo da Agrolider: “A visita aos Países Baixos serviu principalmente para colocar as empresas presentes na missão em contacto com fornecedores de equipamento e serviços do sector agrícola e, para introduzi-los às novas tecnologias e equipamentos. Ambos podem ser consideravelmente benéficos para o desenvolvimento da agricultura angolana”.
Durante um fórum de discussão, especialistas financeiros incluindo representantes das agências holandesas de crédito à exportação Atradius DSB, Banco ING e Rabobank discutiram o financiamento de iniciativas agrícolas e as perspectivas dos Países Baixos sobre propostas financeiras, gestão de riscos políticos, diligências devidas e gestão de reputação.
Pedro Castro Silva, Director Executivo do Banco BAI, destacou que pode beneficiar da experiência dos bancos holandeses em matéria de análise de riscos dos projectos agrícolas e pecuários, sublinhando que por aquilo que viu, “é possível uma parceria entre o BAI e os bancos holandeses”.
A Universidade de Wageningen informou os participantes da missão sobre uma variedade de tópicos que vão desde a segurança alimentar à produção em estufas.

Tempo

Multimédia