Economia

Novo matadouro processa 11 toneladas

Desde que foi inaugurado, em Agosto, o Matadouro de Camabatela, localizado no município de Ambaca, Cuanza-Norte, colocou no mercado 11,704 toneladas de carne bovina e caprina.

Matadouro de Camabatela tem elevada capacidade de abate
Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro

Em declarações à Angop, em Ndalatando, o responsável do Serviço de Veterinária de Ambaca, João Azevedo, precisou que essa quantidade de carne corresponde ao abate de 64 bois e 205 cabritos.
Adiantou terem sido colocadas no mercado, fundamentalmente de Luanda, 9,280 toneladas de carne bovina e 2,424 de caprina.
João Azevedo garantiu que antes do abate dos animais é emitido um certificado sobre o seu estado de saúde pelo Serviço de Veterinária, para que a carne chegue com a qualidade desejada aos consumidores.
Construído numa área de 16,69 hectares, sob gestão inicial do Ministério da Agricultura, com parceria tecnológica do Grupo Valagro, o Matadouro de Camabatela resulta de um financiamento do Governo Espanhol, avaliado em 13,044 milhões de dólares (cerca de 2,2 mil milhões de kwanzas), e tem capacidade de abate de 200 bovinos e de 300 caprinos por dia. O projecto tem estado a atrair criadores de gado para a região.
Está concebido para responder às necessidades de abate e processamento de carne e de derivados de origem bovina e caprina do Planalto de Camabatela.
Com uma superfície de 1,410 milhões de hectares, o Planalto de Camabatela abarca os municípios de Ambaca e de Samba Caju, no Cuanza-Norte, os de Cacuso e Calandula (província de Malanje), assim como os de Puri, Uíge, Bungo, Alto Cuale, Cangola e Damba, no Uíge, totalizando cerca de 200 fazendas pecuárias registadas.
A sua sede localiza-se na vila de Camabatela, município de Ambaca, 180 quilómetros a nordeste de Ndalatando, capital da província do Cuanza-Norte.

Tempo

Multimédia