Economia

Obras integradas do Lubango têm financiamento

O ministro das Finanças, Archer Mangueira, garantiu na cidade do Lubango, que o financiamento das obras Integradas do Lubango está assegurado.

Fotografia: Jaimagens

O governante, que prestou a informação no final da visita do Presidente da Republica às obras, no sábado, disse que o financiamento inicial ascende os 12 mil milhões de kwanzas.
 Archer Mangueira adiantou que é provável que haja no futuro a necessidade de se fazer um ou outro ajustamento, mas quando se colocar a questão, vai encontrar-se a solução para um projecto desta dimensão, por ser estruturante. “O financiamento da execução das Obras Integradas do Lubango está salvaguardado por um contrato estabelecido entre o Ministério das Finanças e o Banco de Fomento de Angola (BFA), e não há razões para temer em relação a execução financeira”, assegurou.
 O ministro reconheceu que a execução da obra, tanto física como financeira, vai resolver as contrariedades que ainda se assistem no Lubango em termos de saneamento básico, fornecimento de energia, água, circulação de forma cómoda nas estradas e passeios. O ganho, acrescentou, também vai facilitar as acessibilidades a nível da cidade.
 Para contornar os efeitos da seca a nível da região sul, com particular realce para a província da Huíla, o ministro das Finanças disse haver igualmente estudos em curso e projectos de investimento que estão desenhados.
 Archer Mangueira disse que os problemas têm que ser resolvidos por fases, em função das disponibilidades financeiras do país. Para tal, informou que há soluções de curto prazo, que são as chimpacas, e há outras de longo prazo, que têm a ver com as barragens.

Centro de hemodiálise
Um centro de hemodiálise entra em funcionamento a curto prazo, no Hospital Central do Lubango, garantiu ontem a ministra da Saúde.
Sílvia Lutucuta, que prestou a informação ao Jornal de Angola, no final da visita que o Presidente da República efectuou à maior unidade hospitalar da região sul, explicou que o quadro epidemiológico da província indica a existência de muitos doentes com insuficiência renal que estão a ser tratados na província de Benguela. A ministra informou que há uma orientação do Presidente da Republica de  instalar centros públicos de hemodiálise em algumas províncias, das quais a Huíla, onde poderão ser também prestados os serviços de oncologia.
A ministra da Saúde reconheceu que o Hospital Central do Lubango está com as infra-estruturas bastante degradadas, por falta de manutenção.  Sílvia Lutucuta informou que a situação vai ser invertida com o novo processo de reabilitação e apetrechamento, a ser feito com fundos do Programa de Investimentos Públicos.
A falta de quadros também preocupa o hospital. A ministra anunciou, para breve, a realização de um concurso público, cuja quota, reconheceu, não vai resolver em definitivo o problema.

Tempo

Multimédia