Economia

Isenções previstas levam a maior poder de compra

Madalena José

A Pauta Aduaneira 2017, que ontem entrou em vigor no país, vai melhorar o poder de compra e popularizar o consumo de novos bens e serviços, estimou o economista Fernando Vunge ao reagir ao novo instrumento fiscal da Administração Geral Tributária (AGT).

Economista Fernando Vunge
Fotografia: DR

Fernando Vunge disse ao Jornal de Angola que só por isentar os produtos da cesta básica, equipamentos hospitalares e escolares, a nova pauta permite aos grossistas importar mercadorias a preços razoáveis, o mesmo que os retalhistas e os consumidores nas fases posteriores das transacções.
A nova pauta também vai adequar a arrecadação de receitas do Estado, trazer benefícios fiscais e viabilizar a produção nacional com a importação de inputs agrícolas, ajudando a reduzir os altos níveis de inflação.
O presidente da Confederação Empresarial Angolana (CEA), Francisco Viana, considerou que a Pauta Aduaneira ainda tem questões a serem definidas para alguns produtos, afirmando que  os  agravamentos e desagravamentos foram, em alguns casos, aleatórios. O empresário aconselha ao Estado a consultar as associações empresariais para colher mais opiniões quando estiver a produzir novos instrumentos da política económica, uma vez que são parceiros. “Muitas vezes, as associações são chamadas em cima da hora”, referiu.
“A nova Pauta Aduaneira é importante para o sector privado, mas seria bom se fosse contactado antes de entrar em vigor”, sublinhou Francisco Viana.

Tempo

Multimédia