Economia

Licenciamento de táxis registou crescimento

O número de automóveis ligeiros licenciados em 2018 para o serviço de táxi disparou para 716, mais 31 por cento ou 222 veículos que em 2017, de acordo com o chefe do Departamento de Tráfego e Mobilidade Urbana daquela província.

Cidade do Lubango conta com mais serviços de táxi
Fotografia: Arão Martins | Edições Novembro

O incremento, referiu, não é ainda o desejado, pois o número de viaturas a operar na ilegalidade é ainda considerável, quando a meta é fazer com que todos operadores estejam legalizados.
Destacou que o gabinete, para além da actividade de táxi, licenciou actividades complementares como o transporte de mercadoria, transporte pesado de passageiros e oficinas mecânicas, o que, ao longo do período em análise, permitiu arrecadar cerca de 33,4 milhões de kwanzas, contra os 26,5 milhões em 2017.
Também houve um incremento das licenças passadas para automóveis pesados para o transporte de mercadoria, sendo passadas 225 em 2018, mais quatro que em 2017.
A província da Huíla conta com mais de três milhões de habitantes e a rede de transportes públicos é quase inexistente, pelo que o serviço de táxi colectivo tem sido a alternativa para milhares de cidadãos.
Números divulgados em Agosto último pela Direcção Provincial dos Transportes e Mobilidade Urbana apontavam para 2.500 viaturas a operarem como táxis na Huíla, em 2017, das quais apenas 494 estavam licenciadas.
O sector, considerou naquela altura a Direcção de Transportes e Mobilidade Urbana, é um dos principais dinamizadores da actividade económica, tornando necessários investimentos em infra-estruturas e em recursos humanos.


Tempo

Multimédia