Economia

Lunda-Sul com reservas alimentares para o Natal

Adão Diogo e Kamuanga Júlia | Saurimo

Agentes económicos, que operam na província da Lunda-Sul, garantiram, em reunião de concertação com o governo local, na terça-feira, estarem a criar reservas alimentares suficientes para fazer face ao aumento da procura, que se verifica habitualmente por altura da quadra festiva.

Operadores económicos garantem estabilidade nos preços
Fotografia: Edições Novembro

No encontro, que teve lugar na Mediateca de Saurimo, sob coordenação do governador provincial, Daniel Neto, os operadores económicos comprometeram-se, ainda, a observar as normas que regem a aplicação dos preços.

Aos agentes económicos, particularmente aos proprietários de armazéns, câmaras frigoríficas e agências de comercialização de gás de cozinha, o governador Daniel Neto recomendou “sentido de responsabilidade”, para evitar a “mão pesada da lei”.
A Polícia Nacional, prosseguiu o governador, vai cumprir com o seu papel, trabalhando sem parar, em parceria com a população, cujas denúncias têm vindo a ajudar as autoridades na descoberta de transgressões económicas.
A subida dos valores cobrados pelo aluguer de camiões para o transporte de mercadoria, de Luanda à Lunda-Sul e, no caso do gás, do Luena a Saurimo, devido ao mau estado das vias, é apontado pelos agentes económicos como o principal factor de instabilidade dos preços na região.
O frete de camião, de Luanda para Lunda-Sul, segundo operadores económicos, passou, nos últimos meses, de 900 para 1,3 milhão kwanzas. Os custos de transporte de gás, do Luena a Saurimo, que eram suportados pela Sonagaz, são agora arcados pelos revendedores, o que encarece o produto.

Tempo

Multimédia