Economia

Macau quer empresas a investir em África

Macau vai ajudar empresas chinesas e locais a investir na União Europeia (UE), na América Latina e em África, através dos países lusófonos, afirmou, em Lisboa, o secretário para a Economia e Finanças do Território.

Fotografia: DR

Lionel Leong Vai Tac falava numa reunião com representantes de empresas da China continental e de Macau, com investimentos em Portugal, bem como de firmas portuguesas que investem na região administrativa especial chinesa, de acordo com um comunicado. “A plataforma sino-lusófona de Macau desempenha um papel importante no desenvolvimento da Grande Baía, através de três trajectórias de cooperação económica e comercial”, segundo o comunicado publicado ontem em Macau. A primeira trajectória é da China para Portugal, através da plataforma de Macau, e entrada na UE. A segunda desenvolve-se da China para o Brasil, para investir na América Latina, e a terceira da China para Moçambique e Angola, para entrar em África. A Grande Baía é o projecto de Pequim para criar uma metrópole a nível mundial, que junta as regiões administrativas especiais de Macau e de Hong Kong e nove cidades chinesas da província de Guangdong (Dongguan, Foshan, Cantão, Huizhou, Jiangmen, Shenzhen, Zhaoqing, Zhongshan e Zhuhai). No encontro, os representantes de empresas da construção, finanças e comércio debateram “a expansão do espaço de desenvolvimento nos países de língua portuguesa”.

Tempo

Multimédia