Economia

Madeira pode gerar riqueza

A madeira constitui parte da riqueza angolana que, bem explorada e restituída, promove de forma sustentável o progresso do país, afirmou quinta-feira, no Luena, o director nacional das Florestas.

Iniciativas privadas passam a ter apoio financeiro
Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro

Nazaré Veloso, que dissertava sobre “A valorização do contexto económico, social e ambiental do país”, num seminário promovido pela Universidade José Eduardo dos Santos (UJES), no Moxico, lembrou que o Executivo angolano aprovou, em Março último, o plano de medidas de carácter imediato, garantindo maior incremento florestal, para gerar recursos financeiros aos cofres do Estado.
O responsável explicou  que tais medidas foram tomadas não só no seguimento da aprovação dos instrumentos de gestão, como também da situação que o sector florestal viveu nos últimos tempos, no âmbito da campanha florestal do ano passado.
O director nacional das Florestas disse que a realização do seminário no Luena visa, também, sensibilizar e incentivar as instituições financeiras públicas e privadas acerca da necessidade de financiar-se projectos de investimento deste sector.
O seminário, com a duração de dois dias, visou destacar as diversas potencialidades da província do Moxico e os métodos para melhorar a auto-suficiência alimentar das famílias, promovendo a qualidade de vida da população. Os exploradores de madeira no país foram instados, pelo secretário de Estado dos Recursos Florestais, André de Jesus Moda, a cumprir a lei florestal para uma exploração racional.
Falando durante a abertura oficial da campanha florestal nacional 2017, lançada na quinta-feira, no Luena, disse que ao actuarem racionalmente na exploração das florestas vão cumprir a Lei número 6/7 de 24 de Janeiro , que estabelece o período de exercício da actividade por 18 meses.
O secretário frisou que o gesto representa ainda a concretização da responsabilidade e compromissos do Estado perante as empresas.

Tempo

Multimédia