Economia

Mais de 100 expositores angolanos na China

Natacha Roberto

A delegação angolana que participa de quarta-feira a sábado na 1ª Exposição Económica e Comercial China-África, na cidade chinesa de Changsha, partiu sábado de Luanda, de acordo com informações obtidas pelo Jornal de Angola que indicam que a missão é liderada pelo ministro do Comércio, Joffre Van-Dúnem Júnior.

Ministro do Comércio lidera delegação angola à exposição
Fotografia: DR

O coordenador executivo da Câmara de Comércio Angola-China, Adulai Baldé, disse que Angola vai-se fazer representar num pavilhão onde o sector da agricultura tem maior destaque, por ter maior número de expositores. A delegação tem 103 integrantes que representam a produção nacional em domínios como os recursos minerais, turismo, indústria, serviços e infra-estruturas.
“Temos um pavilhão onde vamos expor todos os nossos produtos”, declarou Adulai Baldé, apontando que a Refriango vai levar dois contentores de bebidas das suas linhas de produção no mercado.
Adulai Baldé declarou que a exposição vai garantir às empresas angolanas maior conhecimento sobre a forma de fazer negócios na China e pelas empresas chinesas. “Queremos, com este evento internacional, aproximar os empresários dos dois países, o que achamos ser benéfico para o desenvolvimento das duas economias”, disse.
Na sua opinião, o Presidente da República, João Lourenço, dinamizou o apoio da China a Angola e África com a visita realizada em Outubro do ano passado àquele país. “O modelo de cooperação comercial da China corresponde às necessidades do desenvolvimento do continente, uma vez que visa melhorar as condições das populações”, disse.
De acordo com o programa da 1ª Exposição Económica e Comercial China-África, está prevista a assinatura de cinco protocolos de cooperação comercial entre empresas angolanas e chinesas, os quais vão dinamizar as parcerias de negócios entre as empresas dos dois países, afirmou Adulai Baldé.
O primeiro dia de exposição está reservado a muitas intervenções de entidades governamentais da China e de vários países de África, além de uma visita guiada pelos pavilhões.
No segundo dia, expositores participam num simpósio bilateral do comércio que conta com a intervenção do ministro do Comércio, Joffre Van-Dúnem. No último dia de exposição, o secretário de Estado da Indústria, Ivan do Prado, apresenta aos participantes a situação do sector.
O coordenador da Câmara de Comércio Angola-China informou que, actualmente, residem 48 mil chineses em Angola (260 mil passaram pelo país ao longo dos últimos dez anos), e que a tendência é que o número ascenda devido às apostas do Executivo na atracção ao investimento estrangeiro.

 

Tempo

Multimédia