Economia

Mais de 44 mil inscritos no primeiro dia das vendas

Victorino Joaquim

O portal de candidaturas para a compra de habitações concluiu mais de 44 mil inscrições com sucesso até às 16 horas de ontem, de acordo com dados divulgados ontem pela Televisão Pública de Angola, secundando uma nota de imprensa do Ministério do Ordenamento do Território e Habitação enviada às redacções, dando conta da reactivação do portal que, depois de aberto, ficou indisponível por quatro horas no primeiro dia da operação.

Fotografia: DR

Segundo o documento, o processo, intermediado pela empresa de gestão imobiliária Imogestin, iniciou às 00H00 de ontem, mas foram registados problemas técnicos que ocasionaram a indisponibilidade do sistema por quatro horas.

No princípio da tarde de ontem, a equipa técnica responsável pela gestão da plataforma continuava a trabalhar para garantir o normal funcionamento do portal, por onde se promete estar assegurado o reenvio das mensagens de confirmação das candidaturas.
“Reafirmamos que o portal estará disponível 24 horas até às 23H59 do dia 5 de Fevereiro de 2020, sendo igualmente tratadas todas as candidaturas, independentemente da data de submissão”, conclui a nota de imprensa.

Reunião com parceiro

Em declarações à Rádio Luanda, o porta-voz da Imogestin, Mário Guerra, afirmou que a imobiliária estava a trabalhar com a empresa que desenvolveu o “site” de candidaturas para compra de habitação no Zango 5, para apurar as razões que estão na base das falhas. Apesar da indisponibilidade registada horas depois do arranque do “site”, Mário Guerra garante que o processo vai continuar até ao dia 5 do próximo mês, ficando em aberto a possibilidade de os candidatos procederem às inscrições nos dias subsequentes.
Ontem mesmo, foi realizada uma reunião entre as partes, sobre a qual o porta-voz não forneceu mais detalhes.

Falhas na submissão

A escolha do projecto habitacional, da tipologia de habitação e selecção do município de residência foram as principais falhas declaradas ao Jornal de Angola pelos cidadãos que tentaram fazer a inscrição para a compra de habitação pelo portal de imocandidaturas. Edna António, candidata à compra de uma habitação, lamentou ter permanecido das 23H00 até perto das 4H00 da manhã a tentar fazer a inscrição através do portal, sem ter tido sucesso.
“Tudo podia começar bem mas, quando fosse preencher os espaços para seleccionar o projecto e enviar a candidatura, o sinal ia abaixo, ficava estático. A situação repetia-se várias vezes. Depois de superar esta dificulda-de, surgiram outras: então, tive de desistir”, disse o funcionário público Edson Paulo.
O técnico de informática Alberto Manuel, atento ao processo, afirmou ter-se sentado diante do computador às 00H00, levantando-se da cadeira quase às 3H00 da manhã. “Mesmo assim, não consegui e, como tinha de ir trabalhar, desisti. Eram muitas falhas, desde à selecção do município de residência, escolha do projecto habitacional e da tipolo-gia de habitação, até ao momento de enviar”.
Apesar dos constrangimentos, algumas pessoas conseguiram fazer a inscrição depois de várias tentativas, disse a funcionária pública Clara Sicato, acrescentando que testemunhou alguns colegas de trabalho que tentaram e conseguiram.

Negociação dos contratos

Para a fase das vendas que iniciou ontem, estão disponíveis 2.390 habitações, 320 das quais são vivendas T3 isoladas, 452 vivendas geminadas e 1.618 apartamentos destinados a três modalidades de contrato: arrendamento urbano, propriedade resolúvel e pronto pagamento.
A modalidade de arrendamento urbano reserva 1.939 habitações, sendo 134 vivendas T3 isoladas, 302 vivendas geminadas e 1.503 apartamentos.
Para propriedade resolúvel estão disponíveis 411 casas (146 vivendas T3 isoladas, 150 geminadas e 115 apartamentos).

 

Tempo

Multimédia