Economia

Mais de 70 endereços “.ao” suspensos para actualização

Cerca de 70 endereços com o domínio “.ao” estão suspensos por não terem actualizado os dados dos titulares. O director do Instituto de Fomento da Sociedade de Informação (INFOSI), Meick Afonso, disse que muitos ignoraram os vários avisos e que a actualização era necessária para cumprir recomendações internacionais.

Serviço de registo de endereços no domínio “.ao” foi lançado no ano passado
Fotografia: Edições Novembro


Um comunicado do Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social publicado ontem, no Jornal de Angola, traz a lista de cerca 250 endereços alojados no domínio do topo nacional por actualizar, sob pena de cancelamento. Entre eles, estão instituições financeiras, entidades e cidadãos.
“O que estamos a observar é a normalização do funcionamento e gestão da infra-estrutura do domínio do topo nacional, domínio “.ao”, disse, garantindo que não se observou nenhuma paragem técnica na infra-estrutura.

O processo de fiabilização dos registos, segundo o gestor, é feito mediante apresentação de informação credível dos titulares. Trata-se, de acordo com Meick Afonso, de “um processo normal e necessário que podemos considerar de célere em função da metodologia adoptada, que é a remissão pela via electrónica e preenchimento de informação dos seus titulares.
“Podemos observar que, diante do universo de registo de domínios que precisavam de ser fiabilizados, conseguimos alcançar uma cifra acima dos 70 por cento, o que demonstra a celeridade com que o processo pode decorrer”, disse.

Para o director do INFOSI trata-se de um processo necessário, “porque a Internet representa, hoje, um veículo de extrema importância para a comunicação e é, também, um espaço para o cometimento de muitas fraudes, daí a clareza e integridade daqueles que o utilizam ser necessário”.
“Estamos a falar de um caminho que deve ser percorrido e, como tal, há a necessidade de podermos seguir os passos correctos, situação que tem vindo a acontecer”, disse.

Meick Afonso garantiu que ontem o processo estava normalizado. “Podemos observar que aqueles titulares de registos que mais rapidamente se aperceberam que antes mesmo do dia de hoje conseguiram garantir a fiabilização das suas contas a tempo e não viram os seus serviços interrompidos”, disse.

Meick Afonso afirmou que os titulares ainda podem actualizar os dados e que o processo é célere e decorre há algum tempo. “Hoje, observamos o alcançar da data limite e é importante percebermos que está em causa o bem maior, que é a salvaguarda do próprio domínio sob pena deste vir a ser banido e, aí sim, as consequências serem catastróficas e com danos incalculáveis”, sublinhou o gestor, tranquilizando que não se tratou de nenhuma paragem técnica de infra-estrutura de domínio a nível nacional.

“Podemos observar que os serviços, como a banca que tinha os seus registos fiabilizados e operacionais, estão em normal funcionamento”, disse, para acrescentar que todos os que tinham os registos, com essa necessidade, acabaram por chegar à data limite. “Há necessidade de organizarmos para uma melhor gestão que se impunha aqui como necessária”, indicou.

Tempo

Multimédia