Economia

Mercado da RDC pode impulsionar expansão económica em Angola

O mercado da República Democrática do Congo (RDC) tem potencial para impulsionar a implementação da Zona de Livre Comércio Continental, “ajudar ao crescimento económico e melhorar a balança cambial” angolana.

AIA propôs a realização de feiras fronteiriças como forma de promover permutas permanentes
Fotografia: Edições Novembro

O presidente da Associação Industrial de Angola (AIA), José Severino, que proferiu ontem estas declarações, à margem da 1ª Reunião do Comité Nacional de Facilitação do Comércio (CNFC), acrescentou que os laços estabelecidos entre os dois país podem conduzir a ligações económicas mutuamente vantajosas.
“Felizmente, as relações políticas das duas Nações vão melhorar, e a AIA já fez propostas para feiras fronteiriças como uma forma de permuta permanente entre os países”, disse José Severino.
O líder empresarial sublinhou o facto da RDC ter um potencial mineralógico e enormes reservas aquíferas (zonas húmidas ou reservas subterrâneas de águas), o que, por si só faz daquele um país com enorme potencial de riqueza.
Com fronteiras marítima, fluvial e terrestres, os dois países devem tirar vantagens mútuas na transportação de produtos diversos, com destaque para os alimentares, como peixe, hortícolas e também os da indústria transformadora, preconiza José severino.

Tempo

Multimédia