Economia

Mercado está favorável às ramas Girassol e Cabinda

As ramas angolanas tiveram um bom desempenho no mercado internacional, em Junho, em comparação ao mês de Maio, tendo sido Cabinda e Girassol as ramas mais valorizadas em relação ao Brent, a prémio de 0,82 e 0,81 dólares.

Fotografia: DR

As ramas Dália e Nemba foram comercializadas a prémio de 0,20 e 0,84 dólares, fruto de uma maior valorização do Brent, a referência de Angola no mercado internacional.

O boletim mensal sobre o comportamento dos preços do barril de petróleo, de Ju-nho, publicado pela empresa PetroAngola, indica que a rama Cabinda foi a mais bem valorizada, tendo atingido o preço mais alto, de 44,18 dólares o barril, a uma média mensal de 41,69.

A rama Girassol foi a se-gunda mais bem valorizada, tendo atingido o preço mais alto, de 44,75 dólares e uma média mensal de 41,68 dólares. A rama Dália foi vendida a uma média de 40,67 dólares o bar-ril, após ter atingido o valor de 43,80 dólares, no mês anterior.

Já a rama Nemba, que chegou a ser valorizada ao preço mais alto, de 42,78 dólares, foi comercializada a uma média mensal de 40,03 dólares.

Recuperação dos preços

A fonte indica que, ao longo do mês de Junho, verificou-se uma recuperação dos preços do barril do petróleo nos mercados internacionais, após uma pequena subida observada no mês de Maio, em que o barril do WTI foi comercializado a uma média de 29,72 dólares e o Brent a 32,79 dólares.

O Brent “benchmark” para as ramas angolanas foi vendido ao preço mais alto, de 43,07 dólares, tendo o barril atingido uma média mensal de 40,88 dólares, ao passo que o Nymex (WTI), referência para o continente americano, atingiu o preço mais alto, de 40,73 dólares e foi comercializado ao custo médio mensal de 38,35 dólares, de acordo com os últimos dados da PetroAngola.

Tempo

Multimédia