Mercado grossista regista alta de preços


19 de Março, 2017

O Índice de Preços Grossista (IPG) registou uma variação mensal de 1,24  por cento, no período de Janeiro a Fevereiro de 2017, o que representa cerca de 0,04 pontos percentuais superior ao alistado no período anterior,  anunciou ontem num comunicado o Instituto Nacional de Estatística (INE).

O INE  aponta que a variação homóloga do mês de Fevereiro de 2016 a Fevereiro de 2017  é de 28,82 por cento, um aumento de 14,73 pontos percentuais em comparação com o mês de Fevereiro do ano passado.
Em termos de tendência, a taxa de inflação homóloga experimenta uma aceleração, um facto que teve início em Janeiro de 2015.
Durante o mês de Fevereiro de 2017, os preços dos produtos nacionais aumentaram em 1,29  por cento, comparados com os do mês de Janeiro de 2017. Com  1,37 por cento, a secção A,  que  abrange  a agricultura, produção animal, caça e silvicultura, registou o maior aumento de preços.
Os produtos que tiveram maior variação de preços neste grupo foram cabrito vivo com 2,38 por cento, banana com 2,37, mandioca com 2,35, pimento com 2,30, alho com 2,12,  laranja com 1,99, cenoura com 1,93, mamão com 1,66, ovos com 1,57 e limão com 1,28.
No mês de Fevereiro de 2017, os preços dos produtos importados tiveram um aumento de 1,22 por cento, influenciado basicamente pela variação de preços verificados na secção A (agricultura, produção animal, caça e silvicultura) com 2,01 por cento.
No mesmo período, os produtos que mais aumentaram de preços foram o milho em grão com 4,56 por cento, a batata-rena com 3,72, ginguba com 3,62, limão com 2,97, grão-de-bico com 2,65, a pera com 2,25, cenoura com 2,19, alho com 2,12, abóbora com 1,85, ovos com 1,74, uvas frescas com 1,73, laranja com 0,73, flores com 0,63 e maçã com 0,45.
A inflação global no mês de Fevereiro de 2017 foi de 1,24 por cento, sendo a contribuição dos produtos importados a que maior participação teve com 0,97 pontos percentuais (78 por cento), enquanto a contribuição dos nacionais (produtos) foi de 0,27 pontos percentuais.
A inflação dos produtos nacionais em Fevereiro de 2017 foi de 1,29 por cento. A secção D, que alberga o sector da indústria transformadora (0,78 pontos percentuais) foi a que mais contribuiu para o aumento.
Nesta classe, os produtos que mais contribuíram foram a cerveja com 0,26 pontos percentuais, gasosa com 0,23, cimento com 0,09, vinho e sabão em barra com 0,02, tinta plástica, tubo preto (pvc), leite em pó, farinha de trigo e óleo de soja com 0,01 pontos cada.
No que toca aos produtos importados, a inflação em Janeiro de 2017 foi de 1,22 por cento. A mesma secção D teve 1,16 pontos percentuais, um facto que  também contribuiu para a variação dos preços dos bens provenientes de outros países.
Nesta senda, os produtos que mais contribuíram para a inflação dos  produtos  importados foram a cerveja com 0,11 pontos percentuais, carne de porco  com 0,07, vinho tinto, sapato de couro para homem com 0,05, leite em pó, automóvel ligeiro, gasosa e óleo de soja com 0,04 pontos cada.
Ainda nesta  categoria, o frango congelado e o whisky  registaram  0,03 pontos percentuais cada, a  farinha  de milho, varão, azulejo, fraldas, antibióticos, livro escolar e farinha de trigo com  0,02 pontos cada, de acordo com o INE.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA