Economia

Responsável tributário quer rigor na cobrança

O director da Administração Tributaria (AGT) no Cunene, António Amaral Gourgel, apela ao cumprimento com rigor das suas obrigações fiscais por parte de todos os contribuintes, sob pena de estarem sujeitos a multas.

Agentes comerciais chamados a pagar impostos
Fotografia: Edmundo Eucílio | Edições Novembro

O responsável, que falava no sábado no acto de encerramento do IX Conselho Consultivo Alargado da Polícia Fiscal, considerou o órgão policial de capital importância no exercício das obrigações fiscais, por actuar como braço activo da AGT no controlo da fuga ao fisco.
António Gourgel defendeu uma Polícia Fiscal cada vez mais actuante, organizada e disciplinada e que desencoraje as más práticas e as acções que mancham o bom nome das instituições.
O director da Administração Tributária no Cunene faz votos por uma parceria de sucesso com a Polícia Fiscal que mantenha o espírito de fazer melhor, com a firmeza necessária, transparência, responsabilidade, integridade, cooperação e inovação.
O Ministério das Finanças divulgou durante a semana uma informação que dá conta da Quarta Região Tributária ter registado maior celeridade no processo de desalfandegamento, na sequência do registo do primeiro Manifesto de Carga no Sistema Automatizado de Gestão de Dados Aduaneiros (ASYCUDA World) em alto mar, ocorrido a 30 de Novembro, no município do Porto Amboim, província do Cuanza Sul.
Até Novembro, a Quarta Região Tributária, que abrange Benguela e Cuanza Sul, arrecadou mais de 56 mil milhões de kwanzas, tendo como meta atingir, até ao final de 2017, 68 mil milhões.
“Tivemos algumas boas surpresas anunciadas pela Delegação Aduaneira do Porto do Lobito que teve, no meio do mês, uma arrecadação superior à que se previa. Portanto, vamos fechar essa conta para perceber qual será o resultado final”, frisou a directora daqueles serviços, Nara Júnior.

Tempo

Multimédia