Economia

Minas angolanas atraem 21 empresas no Dubai

O roadshow (apresentação técnica) que antecede ao concurso público internacional de atribuição de direitos minerais para a prospecção e exploração de diamantes, ferro e fosfatos em Angola, realizado hoje no Dubai juntou 76 individualidades, em representação de 21 empresas e instituições financeiras daquele país.

Fotografia: DR

 Em exposição estiveram as minas de Kassala-Kitungo (Cuanza-Norte), com depósitos de ferro, do Lucunga (Zaire) e Cácatas (Cabinda), ricas em fosfatos, e as de Tchitengo e Camafuca-Camazambo (Luanda-Norte) com grandes reservas de diamantes.

Na cerimónia de abertura, o ministro dos Recursos Minerais e Petróleos, Diamantino Azevedo, disse que Angola tem vindo a tomar medidas legais, cambiais, migratórias e outras, para melhorar o ambiente de negócios e tornar mais atractivas as condições para o investimento estrangeiro no sector mineiro. "O Governo está a implementar, com o apoio técnico do Fundo Monetário Internacional, um Programa de Estabilidade Macroeconómica, que tem permitido reduzir a taxa de inflação e a diferença entre a taxa de câmbio e a taxa informal, bem como estabilizar as taxas de juro dos títulos e das reservas internacionais", sublinhou.

 

O objectivo, prosseguiu, é edificar uma economia baseada num crescimento forte e sustentado, acabando com a grande dependência do país em relação ao petróleo, como principal produto de exportação. O roadshow de ontem é o primeiro de um conjunto de três programados para o estrangeiro. O próximo acontece em Beijing, no dia 16 de Setembro, e o último a 30 do mesmo mês, em Nova Iorque. O primeiro foi realizado no dia 27 de Agosto, em Luanda.

Tempo

Multimédia