Economia

Missão do FMI avalia programa de assistência

Uma missão do Gabinete de Avaliação do Fundo Monetário Internacional (FMI) está desde ontem até terça-feira em Luanda, para discutir com as autoridades angolanas a “flexibilidade” da abordagem da instituição para projectar programas de empréstimos, noticiou ontem a Angop.


Liderada pelo director desse Gabinete, Donald Donavan, a missão analisa os resultados do programa e actuação do organismo financeiro internacional em Angola, em discussões iniciadas ontem num encontro com o ministro das Finanças, Archer Mangueira.
Um comunicado do  Ministério das Finanças acrescenta que, nos dias posteriores, a  missão mantém encontros com antigos representantes do Ministério das Finanças, Sonangol e  Banco Nacional de Angola durante a negociação e vigência do programa “Stand-by Arrangment” assinado em 2009 entre Angola e o Fundo Monetário. Em Outubro, o ministro das Finanças admitiu, numa entrevista publicada pelo Jornal de Angola depois de ter participado na assembleia anual conjunta do Banco Mundial (BM) e FMI, que o Executivo estava a avaliar a possibilidade de pedir assistência a esta última instituição.
Archer Mangueira afirmou que a assistência pode, eventualmente, incluir financiamento face às necessidades que o país enfrenta, em declarações que constituem uma reviravolta face às que prestou em Abril, nas reuniões de Primavera do BM e do FMI, quando disse que um acordo nesse sentido não fazia parte da agenda do Governo.
Em Junho de 2016, o Ministério das Finanças confirmou que o Governo tinha descartado apoio financeiro do FMI, no âmbito do pedido de assistência solicitado em Abril daquele mesmo ano, justificando a decisão com a subida da cotação do petróleo.
Esta é a segunda missão do FMI que vem a Angola após às últimas eleições.

Tempo

Multimédia