Economia

Navio avariado no alto mar resgatado por rebocador

Jesus Silva|

Um navio com bandeira da República do Togo, foi resgatado, no fim-de-semana, pelo rebocador Kalunga, da Capitania do Porto do Lobi-to, depois de ter estado à deriva, durante alguns dias no alto mar, devido a uma avaria técnica.

Navio togolês chegou à Baía do Lobito em segurança
Fotografia: José Silva | Edições Novembro

Segundo revelou o seu responsável, Mohamed Dialó, transitário e agente de navegação, o navio denominado DENNY–Z, com 14 tripulantes a bordo, foi comprado num leilão do Tribunal Supremo do Ghana e tinha como destino um cemitério de barcos na Índia.
Após uma avaria num dos motores, o navio ficou à deriva e emitiu um alerta, fazendo com que um rebocador da Capitania do Porto do Lobito, com capacidade de dois mil cavalos de tracção, saisse em seu socorro atracando por volta das 15H00 de sábado na baía do Lobito.
Mohamed Dialó explicou que a avaria é mínima e a peça em falta já foi reportada e terá chegado ontem a Luanda. Depois de colocada, a em-barcação seguirá o seu destino para a Índia. />O navio, que não possui nenhum tipo de carga, é uma sucata que foi comprada para ser reciclada. “Esse é o negócio principal da empresa que compra navios em várias partes do mundo para serem reciclados”, frisou o responsável da embarcação.
O director-geral adjunto do Instituto Marítimo e Portuário de Angola (IMPA), Celestiano Ferreira, destacou o elevado grau de profissionalismo da tripulação do rebocador Kalunga, que permitiu trazer, em segurança, para a Baía do Porto do Lobito o navio DENNY - Z e sua respectiva tripulação.
O Porto do Lobito, um dos mais modernos de Angola, faz da segurança uma das suas principais apostas do processo de modernização, em curso há já alguns anos.

Tempo

Multimédia