Economia

Negócios estão estimados em três milhões de dólares

Domingos Mucuta | Lubango

O volume de negócios da 17ª Expo-Huíla 2019 é estimado em cerca de três milhões de dólares, anunciou no domingo o presidente da Associação Agropecuária, Comercial e Industrial da Huíla (AAPCIL).

Representante do BA I na expo-Huíla recebe galardão das mãos do presidende da AAPCIL Paulo Gaspar
Fotografia: Domingos Mucuta | Lubango

Paulo Gaspar disse, à margem da gala de premiação e atribuição de Chiitas (o galardão do certame), que as estimativas resultam de negócios directos estabelecidos durante o evento e dos compromissos assumidos para depois da exposição. 

O presidente da AAPCIL adiantou que a Expo-Huíla registou uma média diária de três mil visitantes e activou oportunidades de negócios futuros para os 280 expositores. “Sabemos que, a cada edição, os negócios começam sempre na Expo-Huíla e continuam depois. Estimamos que esta edição tenha activado e venha a movimentar no futuro cerca de três milhões de dólares”, disse.
Sublinhou que o balanço é também positivo pela qualidade das montras, nível de participação e de satisfação dos expositores dos ramos de produtos comércio, serviços, agricultura, indústria, transportes, banca, seguros e agricultura, bem como em relação à afluência do público ao recinto. Paulo Gaspar destacou a participação de 12 dos 14 municípios da província da Huíla, numa altura em que essas localidades começam a despertar a atenção dos homens de negócios e investidores.
O prémio de melhor participação municipal foi vencido pela Chibia. “Foi importante a participação das administrações municipais, porque a nossa aposta é nos municípios”, afirmou Paulo Gaspar.
O corpo de jurados, composto por pessoas independentes, atribuiu o prémio de melhor Chiita ao Banco Angolano de Investimentos (BAI), como o vencedor da Expo-Huíla 2019, pela qualidade, inovação, atendimento e apresentação do melhor stand.

Tempo

Multimédia