Economia

Novo consórcio investe no país

O grupo Wahaha, com sede em Hangzhou, vai organizar um consórcio de empresas privadas chinesas para investir   em Angola, disse ontem em Pequim o presidente executivo da empresa. Zong Qinghou revelou, num painel realizado no decurso do Congresso Nacional Popular, ter sido recebido pelo Presidente de Angola e por diversos ministros que, “de uma forma cordial, convidaram as empresas de Zhejiang a investir no país.”

Zong Qinghou disse ter sido atraído por África devido aos imensos recursos naturais do continente bem como ao facto de o Governo da China promover activamente a internacionalização das empresas e dos grupos chineses.
Citado pelo jornal "South China Morning Post", Zong disse que chegou o “momento de olhar com outros olhos para África, atendendo a que precisam da China para se industrializarem e a China precisa  dos seus recursos.”
Zong Qinghou informou que vai promover a formação do  consórcio, um grande grupo de empresas privadas da China, “a fim de oferecer aos países africanos ajuda nos  processos de industrialização.” A  ocorrência de reservas de gás natural, de minas de cobre e de diamantes são os pontos mais atractivos para as empresas chinesas.

Tempo

Multimédia