Economia

Petróleo caiu com ameaça de Trump

Os preços do petróleo recuam sexta-feira, face às preocupações em torno da disputa comercial entre os Estados Unidos e a China.

Fotografia: DR

O Presidente norte-americano, Donald Trump, retomou as suas ameaças, afirmando que os EUA estão prontos para retaliar todas as importações provenientes do “gigante asiático”. Donald  Trump afirmou estar disposto a impor tarifa sobre todas as importações da China, caso não ocorram mudanças na relação comercial.
“Estamos prontos a ir até 500”, afirmou, durante uma entrevista à rede CNBC, referindo-se ao défice comercial americano com os chineses no ano passado, de 505 mil milhões de dólares. “Eles tiram vantagem de nós e não gosto disso”, afirmou Donald Trump, ao comentar as relações comerciais americanas em geral, não apenas com a China.
Enquanto isso, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, afirmou que a União Europeia está pronta para retaliar contra a eventual tarifa dos EUA sobre carros. “A situação no comércio global é séria”, acrescentou Angela Merkel.
Por outro lado, o anúncio de ontem da Arábia Saudita sobre redução de suas exportações em Agosto, limita as perdas. De acordo com o país árabe, as suas exportações de petróleo em Julho devem ficar no mesmo nível das exportações de Junho, enquanto em Agosto as exportações devem cair em cerca de 100 mil barris por dia.
O petróleo WTI para Setembro, que já é o mais líquido, caíu 0,23 por cento, a 68,08 dólares o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o “Brent” (referência de Angola)  para Setembro, recuava 0,03 por cento, a 72,56 o barril, na ICE.
Donald Trump afirmou estar disposto a impor tarifa sobre todas as importações da China, caso não ocorram mudanças na relação comercial. “Estamos prontos a ir até 500”, afirmou.

Tempo

Multimédia