Economia

Porto de Cabinda: Paralisação das operações provoca perdas de 100 milhões de kwanzas

Pedro Suculate | Cabinda

As operações de carga e descarga de mercadorias no Porto de Cabinda estão paralisadas desde há cerca de um mês, em consequência das fortes calemas (marés altas) que se registam na costa, o que já causou à empresa prejuízos avaliados em cerca de 100 milhões de kwanzas, informou o administrador para Área Operativa, Otoniel da Silva.

Fotografia: DR

O responsável disse à imprensa que a agitação das águas que ocorre na Baía de Cabinda tem provocado ondas de mais de dois metros de altura e não permitem a atracagem de navios, dificultando qualquer actividade de cabotagem no porto. 

“No período de cacimbo, ocorre forte agitação do mar em Cabinda, o que provoca ondas que podem chegar até 2,5 metros de altura, impossibilitando a realização de operações de carga e descarga de mercadorias e não só”, lembrou a fonte.

Para manter o Porto de Cabinda operacional na época seca, declarou Otoniel da Silva, torna-se imprescindível a conclusão das obras de construção do quebra-mar, uma importante infra-estrutura marítima capaz de reduzir o impacto da corrente das águas do mar quando são fortemente agitadas pelas calemas.

Depois de 30 dias de paralisação, apenas na quinta-feira o Porto de Cabinda realizou operações de cabotagem, com a prioridade para a descarga de navios com produtos da cesta básica, anunciou Otoniel da Silva. “Hoje, iniciámos as operações e elaborámos um plano de descarga em que é prioritária a descarga de navios com produtos da cesta básica para aliviar alguma carência no mercado local”, disse Otoniel da Silva.

Cinco navios com 276 contentores de mercadoria diversa, incluindo 38.588 caixas de peixe congelado, aguardam no alto mar orientações para atracagem e descarga de mercadoria, acrescentou o administrador.

Tempo

Multimédia