Economia

Produção de bebidas

O Grupo Sun Ocean Lda vai investir numa fábrica de bebidas em Angola, à luz de um acordo assinado esta semana com a Unidade Técnica de Investimento Privado.

Assinatura do contrato de investimento privado pela UTIP e o Grupo Sun Ocean
Fotografia: Edições Novembro


Segundo um comunicado de imprensa, neste acordo a UTIP concedeu aprovação às empresas Embasa, da Guiné Equatorial, e à QG African Infrastructure 1 LP, empresas com experiência no mercado angolano para iinstalação da fábrica.
Depois de totalmente operacional, o empreendimento terá uma meta de produção de mais de 80 milhões de litros por ano e vai gerar 400 postos de trabalho. Com a iinstalação da fábrica, o Grupo Sun Ocean Lda vai ocupar uma posição única no mercado de bebidas em Angola, considerada pelo investidor como um “país que mostrou progressos significativos no aumento da riqueza, da sustentabilidade macroeconómica e da diversificação da economia nos últimos anos”.
Segundo os seus responsáveis, o Sun Ocean Lda pretende estar “bem posicionado no mercado”, de modo a “contribuir para a estabilidade e o desenvolvimento do sector, bem como a criação significativa de novos postos de trabalho e uma cadeia de valor abrangente.” />A fábrica vai desenvolver a produção local de sumos, água e vinhos e com a capacidade de embalagem em Angola, servindo inicialmente o mercado de Luanda e as províncias mais próximas.
O director-geral para a Área de Investimentos do Grupo Quantum Global, Martin Bachmann, disse estar satisfeito com a criação deste projecto do Grupo Sun Ocean Lda e pela aprovação pela UTIP.
“Agradecemos aos gestores da UTIP e aos nossos novos parceiros, o Grupo Sun Ocean Lda pelo seu empenho”, disse Bachmann, acrescentando que o grupo está entusiasmado em investir numa área que pode contribuir significativamente para o crescimento do sector de bebidas em Angola, bem como para a diversificação da economia.
A UTIP tomou em consideração a justificativa socioeconómica do projecto no contexto angolano, particularmente no sector de bebidas. Além disso, a aprovação vai dar “luz verde” a um novo modelo financeiro de projectos e avaliação de viabilidade.

Tempo

Multimédia