Economia

Produto Interno Bruto cresceu 2,2 por cento no quarto trimestre de 2018

O Produto Interno Bruto (PIB) nacional cresceu 2,2 por cento durante o quatro trimestre de 2018, com os sectores de Electricidade e Água e Intermediação Financeira e de Seguros no topo, indica um relatório do Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

Com 22,3 por cento, o sector de Electricidade e Água é o que maior crescimento registou durante o período em análise
Fotografia: DR

De acordo com o documento relativo ao quarto trimestre de 2018, divulgado na quarta-feira, no ano passado, a economia nacional contraiu 1,7 por cento, valor que, segundo o INE, “poderá sofrer alterações” aquando da publicação dos resultados finais das Contas Nacionais.
A contracção agora divulgada corresponde às previsões do Fundo Monetário Internacional (FMI), tornadas públicas em Dezembro de 2018 e surge depois de o Produto Interno Bruto (PIB) do país ter já registado uma recessão de 0,2 por cento em 2017.
No documento, o INE refere que o PIB angolano cresceu 2,2 por cento durante o quarto trimestre de 2018 face ao período homólogo de 2017, um crescimento que, entretanto, não conseguiu impedir a recessão de 1,7 por cento no acumulado do ano.
Dos 17 sectores contabilizados pelo Departamento de Contas Nacionais e Coordenação Estatística, seis verificaram um crescimento em 2018, sendo o de Electricidade e Água com 22,3 por cento, Intermediação Financeira e de Seguros com 11,7 por cento, Serviços Imobiliários e Aluguer com 3,0 por cento, Correios e Telecomunicações com 1,8 por cento, Administração Pública, Defesa e Segurança Social Obrigatória com 1,2 por cento e Construção com 0,4 por cento. Os seis sectores representam uma participação acumulada de no PIB de 28 por cento.
Em sentido inverso, Subsídios (-62,6 por cento), Pesca (-17,1), Serviços de Intermediação Financeira Indirectamente Medidos (-15) e Imposto Sobre os Produtos (-12,7) foram os sectores que verificaram uma maior quebra durante o ano de 2018.
Ainda assim, apesar dos valores negativos, estes quatro sectores representam cerca de 5,0 por cento do total do PIB de Angola.
Um dos principais indicadores que contribuiu para a queda do PIB do país em 2018 foi a quebra de 9,5 por cento na Extracção e Refinação de Petróleo, responsável por 33 por cento de toda a riqueza produzida anualmente pelo país.
De acordo com o Relatório de Fundamentação do Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2019, o Governo estima que o crescimento do PIB face a 2018 se situe entre os 2,3 e os 2,8 por cento.

Tempo

Multimédia