Economia

Recessão abate facturação da Ibersol

O ano de 2018 foi mais um ano marcado pela recessão económica em Angola, com impactos relevantes na actividade da Ibersol (que explora as marcas Pizza Hut e KFC no país) e resultou num decréscimo de 41,5 por cento no volume de negócios, que se fixou nos 18 milhões de euros.

Comidas rápidas valeram 18 milhões de euros em 2018
Fotografia: DR

A empresa prevê que o cenário para 2019 será ainda de diminuição do consumo com a inerente queda das transacções comerciais e menor volume de vendas.
“A incapacidade de aumentar os preços ao ritmo da desvalorização do Kwanza determinará ainda uma forte diminuição da rentabilidade das nossas operações” em Angola, assume a Ibersol em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) de Portugal.
No total das operações em Angola, Espanha e Portugal os lucros da Ibersol registou, em 2018, uma diminuição de 19,7 por cento para 25,1 milhões de euros face ao ano anterior.
Com base nas contas divulgadas ontem destaca-se também o decréscimo do EBIDTA (lucro antes do pagamento de juros, impostos, depreciações e amortizações), na ordem de 6,5 por cento para 61 milhões de euros, contra os 65,3 milhões de euros do exercício anterior.
Ainda assim, o volume de negócios da empresa ascendeu a 450,1 milhões de euros, o que significa uma variação positiva de 0,4 por cento quando comparado com os 448,3 milhões de euros de 2017.
Nos mercados onde a Ibersol está presente, Portugal está na dianteira com 226 milhões de euros, mais 11,2 por cento.
Em Espanha, este indicador sofreu uma redução de 3,9 por cento para 206 mil-hões de euros (contra os 215 milhões de euros de 2017). A Burger King detém 25 por cento de quota no volume de negócios, enquanto a marca Pizza Hut tem 16 por cento.

Tempo

Multimédia