Economia

Rectificação

O Jornal de Angola publicou, na edição de 12 de Agosto, uma matéria intitulada “Prejuízos em 2019 totalizam 354 mil milhões de kwanzas”, uma abordagem sobre o desempenho, no referido ano, das empresas tuteladas pelo Ministério das Finanças.


Por lapso material, num dos quadros que acompanha a matéria, em relação à avaliação do auditor externo ao relatório e contas da ENSA, aparece “opinião sem reservas” onde deve-se ler “opinião com reservas”. Na secção de resultados líquidos, no lugar de 9,9 mil milhões está, erradamente, 26,1 mil milhões de kwanzas.
Idêntica falha, mas no sentido inverso, verificou-se na edição de 5 de Agosto, na matéria intitulada “TAAG e Porto de Luanda com contas de 2019 por apresentar”, onde, no quadro anexado sobre o Caminho-de-Ferro de Luanda, aparece “opinião de auditor externo com reservas”, quando, na verdade, a opinião vertida sobre o seu relatório e contas foi sem reservas.
Às duas empresas e aos leitores, o Jornal de Angola apresenta sinceras desculpas.

Tempo

Multimédia