Economia

Remodelação na Sonangol

O Presidente da República, José Eduardo dos Santos, exarou ontem um conjunto de decretos através dos quais procedeu à exoneração de Carlos Alberto Masseca do cargo de secretário de Estado da Saúde e à nomeação de António Manuel Moisés Pinto para o cargo de secretário para os Assuntos Económicos do Presidente da República

Presidente indigitada do Conselho de Administração aponta para uma nova era na actividade da empresa pública de combustíveis
Fotografia: Dombele Bernardo

e Eleutério Hivilikwa e Constantina Pereira Machado Furtado para os cargos de secretários de Estado da Saúde, anunciou ontem a Casa Civil do Chefe de Estado.De acordo com o comunicado, o Presidente da República, nos termos da Constituição, e na sequência da aprovação do novo modelo de organização da gestão do Sector dos Petróleos, procedeu ontem também à exoneração do Conselho de Administração da SONANGOL-EP e nomeou uma nova equipa para o órgão de gestão da concessionária nacional responsável pela gestão e monitorização dos contratos petrolíferos.
Para o novo Conselho de Administração da SONANGOL-EP, o Presidente nomeou as seguintes entidades: Isabel dos Santos, Administradora não Executiva e  presidente do Conselho de Administração, Paulino Fernando de Carvalho Gerónimo, Administrador Executivo e presidente da Comissão Executiva,  César Paxi Manuel João Pedro, Administrador Executivo, Eunice Paula Figueiredo Carvalho, Administradora Executiva, Edson de Brito Rodrigues dos Santos, Administrador Executivo, Manuel Luís Carvalho de Lemos, Administrador Executivo, João Pedro de Freitas Saraiva dos Santos, Administrador Executivo, Jorge de Abreu, Administrador Executivo, José Gime, Administrador não Executivo, André Lelo, Administrador não Executivo, e Sarju Raikundalia, Administrador não Executivo.

Declaração de Isabel dos Santos


Ontem mesmo, a nomeada para Presidente do Conselho de Administração da SONANGOL fez publicar uma declaração que aponta as grandes metas a atingir pela empresa face à evolução da economia mundial cujo texto publicamos na íntegra:
“A economia mundial, marcada por uma quebra acentuada e prolongada do preço do petróleo, apresenta um contexto difícil para os países produtores. Hoje, a gestão da crise faz parte da agenda de todas as empresas do sector.
A preocupação com a redução de custos, bem como o aumento dos lucros e da competitividade, são hoje prioridades estratégicas obrigatórias. No entanto, alcançar os resultados pretendidos é uma tarefa difícil e complexa.
A Sonangol enfrenta esta conjuntura e toma a iniciativa de encarar a mudança e marcar uma nova era. A nova equipa terá como principal objectivo a implementação do novo modelo para o sector petrolífero angolano e a execução de um Programa de Transformação, que terá como foco:
• Diminuir os custos de produção e optimizar os recursos, tendo em vista aumentar a competitividade internacional do sector petrolífero angolano;
• Aumentar a rentabilidade da empresa e os dividendos para o accionista Estado;
• Assegurar a transparência na gestão e a aplicação de standards internacionais de reporte e de governança;
• Melhorar a relação com os fornecedores e com os restantes parceiros do sector, numa perspectiva de médio e longo prazo;
• Promover a responsabilidade com a comunidade reconhecendo o papel chave da Sonangol EP na sociedade angolana.
Para apoiar o novo Conselho de Administração na boa execução do Programa de Transformação, foram selecionadas três consultoras de grande reputação nas suas áreas de competência: a The Boston Consulting Group (BCG), a PwC e a Vieira de Almeida & Associados.
Temos, como empresa, que nos comprometer com uma cultura de fazer mais com menos e de nos focarmos na excelência e em resultados. A excelência é a nossa melhor defesa. A excelência é o nosso melhor ataque.
Acredito que esta cultura de excelência permitirá enfrentar com sucesso os grandes desafios que o novo contexto do sector petrolífero coloca à Sonangol e ao País”.

Tempo

Multimédia