Economia

Seca compromete colheita de cereais

Uma severa seca comprometeu as culturas de milho, massango e massambala lançadas em Outubro, ao longo de 8.812 hectares do município dos Gambos, Huíla, deixando as sementes sem possibilidade de maturação.

Chuvas escassas comprometem as colheitas nos Gambos
Fotografia: DR

A Angop citou ontem o director da Agricultura dos Gambos, João Hiluco, a afirmar que, nesta primeira época da campanha agrícola, estiveram envolvidas 15.892 famílias de camponeses que só aproveitaram 30 por cento dos 29.375 hectares de terra previstos para cultivo. Devido à escassez de chuvas, as culturas de cereais não tiveram o desenvolvimento desejado.

Três mil e cinquenta e cinco  famílias das localidades do Tyitongotongo, Fimo, Taca, Tyicu estão sem reservas alimentares e 76.050 cabeças de gado das áreas de transumância, no Vale do Chimbolelo, correm o risco de morrer. João Hiluco disse que, de Outubro até a presente data, registaram-se, nos Gambos, menos de cem mililitros de água por metro quadrado, quantidade insuficiente para sustentar a produção, porquanto seriam necessários entre 400 a 600 mililitros.

A campanha ocorre em três épocas, a primeira das quais decorreu de Outubro de 2018 até à primeira quinzena do mês em curso, sem resultados. As esperanças estão depositadas na segunda fase, que arrancou ontem, e da qual se esperam chuvas com mais regularidade.     

O município conta com 24 associações de camponeses dedicadas à agricultura e uma associação de criadores tradicionais de gado com vontade de trabalhar, mas impedidos de prosperar por factores climatéricos.


Tempo

Multimédia